Siga-nos

Perfil

Expresso

Regiões

Barragem do Sabor vai inundar terrenos agrícolas

Cerca de 20 agricultores do Felgar, no concelho de Torre de Moncorvo, criaram um núcleo associativo para salvaguardarem os seus direitos, enquanto proprietários dos terrenos que vão ser inundados pela anunciada barragem do Baixo Sabor.

A futura albufeira vai deixar submersos cerca de 50 quilómetros quadrados de campos de cultivo, abrangendo os concelhos de Torre de Moncorvo, Macedo de Cavaleiros, Alfândega da Fé e Mogadouro. De acordo com o projecto da EDP, a freguesia de Felgar será a mais afectada pela barragem, visto que os agricultores vão perder os terrenos e as casas da lavoura existentes no lugar de Celhades.

"Eu fiz um grande investimento para recuperar a minha casa, que é onde guardo os utensílios e até alguns produtos agrícolas, dado que há terrenos nas margens do rio Sabor que ainda ficam longe da freguesia", afirma José Rachado, agricultor e membro do Núcleo de Agricultores do Felgar. Na óptica deste proprietário, há muitas dúvidas que os agricultores gostariam de ver esclarecidas, nomeadamente ao nível do impacto que a albufeira poderá ter na agricultura tradicional. "O clima pode ser alterado, porque naquela zona vai haver uma maior concentração de humidade. Será que isso irá afectar as culturas que restarem naquela zona?", questiona o agricultor. Além disso, o recém-criado núcleo pretende defender os interesses dos agricultores no que toca às indemnizações. "Nós queremos que as terras sejam bem pagas e que haja valores distintos para os campos que estão a ser cultivados em pleno e para aqueles que estão ao abandono", acrescentou o proprietário. José Rachado afirma que irá perder cerca de 30 hectares de olival e amendoal, onde fez um investimento significativo ao nível da plantação e da implementação de sistemas de rega. Questionado sobre os benefícios que a barragem terá no regadio, o agricultor não se mostra confiante e diz mesmo que, no Verão, quando a água é preciosa, as quotas da barragem deverão estar mais baixas, o que dificultará a rega. Mesmo assim, o presidente da Associação de Agricultores de Trás-os-Montes, Dinis Cordeiro, afirma que a maioria dos agricultores são a favor da construção da barragem e esperam ter benefícios ao nível do regadio. "Penso que vamos ter benefícios ao nível da rega e até dos acessos aos terrenos, uma vez que vão ser criados caminhos para a barragem", salientou António Miranda, agricultor de Felgar. Para que os agricultores recebam um valor justo pelas propriedades, Dinis Cordeiro afirma que a associação está a agendar uma reunião com a EDP para discutir as contrapartidas que serão oferecidas aos homens da lavoura.

 Teresa Batista/JORNAL NORDESTE