Siga-nos

Perfil

Expresso

Notícias

Cinco razões para "emagrecer" o seu currículo

Flickr

Para ser chamado para uma entrevista de emprego tem de conseguir que o seu currículo capte a atenção dos recrutadores. Em vez de os afogar em informação, facilitar-lhes a vida, deve ser a sua primeira preocupação.

Já leu muito sobre como responder às perguntas mais criativas e como deve apresentar-se nas entrevistas de emprego, mas o seu problema é que ainda não conseguiu chegar a nenhuma. Até pode ter um currículo óptimo, mas se ele não estiver bem apresentado, não o ajuda a chegar a lado nenhum. Mais do que descrever exaustivamente as suas competências e experiências, tentar contar a sua história em uma ou duas páginas, no máximo, pode ser um bom princípio. O conselho é de  Elli Sharef, co-fundadora da HireArt, uma startup que ajuda outras empresas a fazerem boas contratações. Esta colunista do Mashable garante que vê centenas de currículos por dia, por isso sabe exactamente onde eles falham. Siga as pistas e elimine do seu currículo tudo o que pode estar a mais.

Os empregadores não fixarão nada se tentar dizer-lhes tudo

Se listar todas as suas competências, no final, o recrutador não recordará nenhuma delas. É impossível formar uma imagem mental sobre si quando se define como jurista, com conhecimentos de marketing e espírito empreendedor. Pegue na competência que é mais importante para a função e empresa a que se candidata, e mostre ao longo do currículo de que forma a tem usado em diferentes circunstâncias.

Ir direto ao que interessa é uma grande vantagem

Se está a candidatar-se a uma posição na área comercial e a sua paixão são as vendas, foque a narrativa nesse ponto. Conte como aos 8 anos já juntava dinheiro a vender pacotes de amendoins aos colegas do colégio, e que já ganhou várias vezes o prémio de melhor revendedora de uma marca de produtos de beleza, para explicar a sua paixão por esta área. Esqueça que também tem bons conhecimentos de contabilidade ou finanças, se isso não interessa para o lugar. Pode referir que também tem bons conhecimentos de contabilidade ou finanças, mas se isso não for relevante para a função, não lhe dê destaque.

Mais de duas páginas é excessivo

Dificilmente se explica que um recém licenciado tenha assunto para mais do que duas páginas. Aposte num currículo mais gráfico, onde possa alinhar grande parte da informação em tópicos, e deixe a narrativa para explicar quem é, o que é capaz de fazer e de forma os seus conhecimentos e competências podem acrescentar valor à empresa.  

Se quer impressionar, mostre o que vale em vez de escrever

Esta é uma das muitas razões por que é importante que se envolva em outras actividades além do curso. Ter estado na empresa a que se candidata a pedir um patrocínio para uma conferência ou para convidar o director de Recursos Humanos a fazer uma palestra na sua faculdade sobre as competências que as empresas procuram hoje, dizem muito mais sobre si do que 10 páginas de currículo. Mas se não passou por estas experiências, pode fazer um currículo em vídeo - que revela as suas capacidades de comunicar e de iniciativa, e a vontade de se destacar no meio dos outros -, ou enviar um link que remeta para um vídeo com uma actividade importante que tenha organizado ou um debate em que participou, ou juntar uma fotografia sua que possa valer mais do que muitas palavras.

Encare o currículo como um encontro

Se chegar a um primeiro encontro a tentar mostrar que é o melhor em tudo, não vão acreditar em si (mesmo que isso seja verdade). Conseguir um emprego não é muito diferente de conseguir um segundo encontro. Deve dizer o suficiente para que o recrutador tenha curiosidade em entrevistá-lo, nas não dar-lhe tanta informação que ele mal conseguirá ler o seu currículo até ao final.

Antes de enviar a próxima candidatura, pense primeiro: o que posso dizer sobre mim que me ajude a conquistar este lugar? E construa uma narrativa que mostre que é a pessoa certa para a função e que deixe o recrutador com vontade de o conhecer melhor.