Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PS tem o melhor resultado da legislatura

O PSD é o partido que mais sobe no barómetro mensal da Eurosondagem para o Expresso e a SIC, mas o PS confirma a vantagem e atinge, pela primeira vez desde junho de 2011, os 38%.

Cristina Figueiredo

Cristina Figueiredo

Editora de Política da SIC

O PS atingiu os 38% na sondagem de maio da Eurosondagem para o Expresso e a SIC. Mais 0,7 décimas que há um mês que lhe dão o melhor resultado do barómetro nesta legislatura, mais 9,9% do que os votos que obteve nas urnas nas últimas legislativas, em junho de 2011.

A quinze dias das eleições europeias, o PS, sozinho, obtém mais 3% de intenções de votos do que os dois partidos que formam a Aliança Portugal: o PSD, não obstante ser o que mais sobe em relação ao mês passado (mais 1,7%) fica-se pelos 26,9% - menos 11,7% dos que o score que o levou ao Governo, há três anos - e o CDS (que se mantém inalterável em relação a abril) tem 8,1%, ainda assim menos 3,6% do que os votos alcançados em 2011. Juntos, os dois partidos da direita  somam 35%.

À esquerda do PS o panorama é negativo, em comparação com a sondagem de abril: os comunistas ainda estão acima dos 10% (10,4%), mas perderam meio ponto em relação ao mês passado. E o BE não está melhor, pelo contrário: recolhe quase menos 1 ponto de intenções de voto e fica-se pelos 6,6%.

Seguro consolida popularidade

De par com o partido que lidera, António José Seguro também consolida a sua popularidade: conquistou igualmente mais 0,7% de opiniões positivas, e continua firme como o líder mais popular, com 24,1% de saldo positivo - mais 13% que o segundo colocado, o presidente de CDS, e vice-primeiro-ministro, Paulo Portas. Com saldo positivo continuam ainda o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, e o Presidente da República, Cavaco Silva.

Pedro Passos Coelho recuperou parte (1%) das opiniões negativas que sobre ele recaiam há um mês, mas continua com um saldo de 11 pontos negativos. Pior que ele só mesmo o Governo que ele chefia, com um saldo negativo de 26,3%.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI.