Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Cavaco Silva despreza "retórica inflamada"

Em mensagem publicada hoje no Facebook, poucas horas depois de José Sócrates o ter criticado fortemente na RTP, o Presidente da República escreve que o interesse nacional não se defende através de uma "retórica inflamada".

Carlos Abreu

Jornalista

O Presidente da República publicou esta manhã uma mensagem no Facebook  a propósito das visitas realizadas a diversas empresas nas últimas três semanas.

Nesse post, Cavaco escreve: "É estimulando, apoiando e dando visibilidade a empresas como estas, e não através de uma retórica inflamada e vazia de conteúdo, que se defende o interesse nacional e se contribui para a recuperação económica e para o combate ao desemprego."

A expressão "retórica inflamada e vazia de conteúdo" já tinha sido usada ontem pelo Presidente da República, durante a visita à fábrica da Gelpeixe, em Loures, tendo na altura acescentado: "As intrigas e as jogadas político-partidárias não acrescentam um cêntimo à produção nacional e não criam um único emprego".

O chefe de Estado voltou hoje a usá-la no post publicado esta manhã, depois da entrevista de José Sócrates à RTP, na qual o antigo primeiro-ministro socialista acusou Cavaco de não ter sido imparcial e de estar na origem da atual solução política.

"O senhor Presidente da República fez tudo para haver uma crise política e foi, digamos assim, a mão escondida atrás dos arbustos da crise política", afirmou Sócrates na primeira entrevista desde que abandonou o cargo, em 2011, vista ontem à noite por 1,6 milhões de espectadores.

Ontem na Gelpeixe, Cavaco Silva defendeu que "se a nossa televisão dedicasse mais espaço a revelar os sucessos empresariais que existem pelo país fora, os esforços desenvolvidos por jovens empresários para, com êxito, enfrentarem a concorrência externa, estou convencido que Portugal estaria melhor".

E justificou: "Se esses sucessos empresariais fossem mostrados pela televisão seria maior a confiança no nosso país. Seria maior a vontade para empreender."