Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Rui Rio quer baixar impostos às empresas para aumentar investimento

PAULO CUNHA/LUSA

O objetivo é ter margem para as empresas aumentarem o investimento e com isso melhorar a competitividade da economia e depois os salários. Em entrevista ao Jornal de Notícias, este domingo,o líder do PSD diz ainda que só não pagamos mais [salários] porque a economia não o permite e a distribuição de riqueza que está feita não é justa

Rui Rio defende menos impostos para as empresas “para aumentar investimento”. “Defendo uma diminuição da carga fiscal. Ponto”.

Num extensa entrevista publicada hoje no Jornal de Notícias – realizada antes de ser desafiado por Luís Montenegro a convocar eleições internas para a liderança do PSD -, o líder da oposição garante que é urgente apostar no futuro das empresas. “Se se aliviar fortemente o IRC relativamente aos lucros retidos e não distribuídos, eu estou a ter uma medida muito importante para o investimento”, sublinha. "Não havendo investimento privado, não melhorando a competitividade da economia, como é que amanhã vamos ter melhores salários? Não vamos de certeza", concluiu.

Rio acrescenta que não há medida nenhuma que, por si só, faça disparar o investimento, mas que há um conjunto de medidas que o podem fazer.

E explica ainda que não é necessário aumentar o IVA ou o IRS para baixar o IRC, pois o próprio crescimento económico dá folga suficiente. “O que nós queremos não é que a economia cresça pelo consumo, ela deve crescer porque produzimos mais e temos mais riqueza. Este Governo faz o contrário”.

O líder do PSD assegura que não está arrependido de se ter candidatado ao cargo que ocupa e que até contava com muitas dificuldades. Mas confessa que não contava com resistência interna. Ou melhor. “Contava com alguma, mas não tanta”. E, acrescenta, “quem discorda estruturalmente do partido, obviamente que deve sair”.

Rui Rio está convencido de que pode ganhar as eleições, pois entende que há um grande descontentamento face ao Governo. “O PS está em condições de perder, vamos nós por-nos em condições de ganhar”.

Sobre o salário mínimo, Rio garante que “qualquer pessoa, em qualquer função, que a cumpra de forma satisfatória, merece mais do que o salário mínimo nacional. Só não pagamos mais porque a economia não o permite e a distribuição de riqueza que está feita não é justa”.