Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Pedro Marques apontado como cabeça de lista do PS às europeias

Marcos Borga

O atual ministro do Planeamento e das Infraestruturas deverá ser o próximo cabeça de lista do PS às eleições europeias. Hipótese ganhou força nas últimas semanas e é, neste momento, o cenário mais provável

O nome de Pedro Marques começa a ganhar força como possível cabeça de lista do PS às próximas eleições europeias. O atual ministro do Planeamento e das Infraestruturas lidera a bolsa de apostas que se vão fazendo nos corredores socialistas e a hipótese não é vista como descabida mesmo entre os mais próximos do governante.

Nos últimos meses, figuras como Augusto Santos Silva, Mário Centeno, Carlos César ou Maria Manuel Leitão Marques têm sido apontadas com alguma insistência ao lugar. No entanto, estarão fora desta equação. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do partido e a mulher que tem a chave do aparelho socialista, chegou a ser dada como certa, mas a própria já fez saber publicamente que não tem interesse, nem está disponível para abraçar o desafio. Pedro Marques é, por isso, o nome mais provável para liderar a lista dos socialistas.

Entre socialistas ouvidos pelo Expresso, há quem note que Pedro Marques reúne todas as características para ser um "excelente candidato", ainda mais porque tutela a aplicação e programação dos fundos comunitários. Além disso, com a saída já confirmada de Manuel dos Santos, que se incompatibilizou com a atual direção do partido, há quem, no PS, veja em Pedro Marques o perfil certo integrar o grupo de socialistas europeus num contexto em que vão ser discutidas várias reformas financeiras e económicas em curso na União Europeia.

Contestado pela oposição graças aos tímidos níveis de investimento público e aos problemas registados na ferrovia, Pedro Marques tem ganhado muito protagonismo nas últimas semanas: o atual ministro tem corrido o país de lés a lés (muitas vezes acompanhado por António Costa), para anunciar novos investimentos, já depois de ter estado em destaque nas negociações para a expansão do aeroporto da Portela e da construção do novo aeroporto do Montijo. Mais: foi Pedro Marques quem liderou o desenho do futuro Plano Nacional de Investimentos 2030 (PNI20230) - o plano de grandes obras públicas que o Governo quer pôr em marcha na próxima década e que será, necessariamente, um dos temas das próximas campanhas (europeias e legislativas). Aliás, Pedro Marques já foi apresentado à família socialista europeia, quando foi um dos escolhidos pela direção do PS para intervir no XI Congresso do Partido Socialista Europeu, que decorreu em Lisboa, a 8 de dezembro.

Há quem veja nesta ascensão de Pedro Marques um sinal de que António Costa já tomou a sua decisão e está a promover o ministro para o lançar na corrida a Estrasburgo - um segredo que a direção do PS quer guardar até 16 de fevereiro, dia em que os socialistas vão apresentar formalmente o cabeça de lista às próximas eleições europeias.