Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

CDS chama ministra da Justiça ao parlamento sobre motins nas prisões de Custóias e Lisboa

JO\303\203O RELVAS

Centristas exigem a presença de Francisca Van Dunem na comissão parlamentar de justiça “a fim de prestar esclarecimentos sobre o que motivou estes protestos e qual foi a atuação dos serviços prisionais para por fim a estes protestos”

O CDS-PP pediu nesta quarta-feira a "audição urgente" da ministra da Justiça no parlamento para debater os recentes motins nas prisões de Custóias e de Lisboa, segundo um requerimento do grupo parlamentar democrata-cristão. Os centristas exigem a presença de Francisca Van Dunem na comissão parlamentar de justiça "a fim de prestar esclarecimentos sobre o que motivou estes protestos e qual foi a atuação dos serviços prisionais para por fim a estes protestos".

Hoje, reclusos das alas A, B e C da prisão de Custóias, Matosinhos, recusaram acatar ordens dos guardas prisionais e arremessaram objetos, em protesto contra as condições e alimentos do refeitório, o que terá motivado mesmo o disparo de tiros para o ar para debelar a situação. Na terça-feira, no Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL), o Grupo de Intervenção de Segurança Prisional (GISP) foi chamado ao local devido a desacatos na Ala B do edifício, incluindo colchões queimados e outros bens destruídos.

O diretor-geral dos Serviços Prisionais explicou à Lusa que os cerca de "160 a 170" reclusos daquela ala se revoltaram por não terem tido visitas, como estava previsto, e amotinaram-se, obrigando igualmente ao "uso de força" pelos guardas prisionais. Segundo Celso Manata, estes desacatos deveram-se ao facto de, finalizada a greve de quatro dias dos Guardas Prisionais, o Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP), que convocou a paralisação, ter marcado um plenário para hoje, inviabilizado novamente as visitas.