Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Macron esclarece que exército europeu não é contra Trump

PHILIPPE WOJAZER

Presidente francês esclarece, depois de encontro com Trump, que ao defender um exército europeu não quis dizer que a Europa precisa de se defender dos EUA. PR dos EUA tinha considerado tal ideia um "insulto"

Macron e Trump reuniram-se este sábado de manhã em Paris e o Presidente francês aproveitou para esclarecer que a defesa que fez na terça-feira de um exército europeu não tem como alvo os Estados Unidos.

Donald Trump tinha escrito no Twitter, antes de aterrar em Paris para as comemorações do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial, que essa ideia do homólogo francês era "insultuosa" e alegava que a Europa queria proteger-se dos Estados Unidos.

Na entrevista que deu à rádio Europe 1 na terça-feira, Macron referiu-se às sucessivas ameaças à Europa, à intrusão no ciberespaço e à saída dos Estados Unidos do tratado de armas nucleares de médio alcance (INF), concluído durante a Guerra Fria.

Hoje, nas declarações aos jornalistas, o Presidente francês esclareceu que “nunca disse que era necessário criar um exército europeu contra os Estados Unidos”.

O presidente francês recebeu hoje de manhã Donald Trump no Palácio do Eliseu, em Paris, depois de se reunir com Ângela Merkel, em Rethondes, um encontro que teve um “significado simbólico” e que se realizou no âmbito das Cerimónias do Armistício da Primeira Grande Guerra.

E prosseguiu: “Compreendo que a sequência de tópicos [da entrevista à rádio Europa 1] possa ter gerado alguma confusão. Mas são dois assuntos diferentes, o tratado INF e o tema de uma força de defesa europeia, no qual estou a trabalhar e está em andamento", salientou o governante.

"A saída do tratado INF tem a ver com a segurança da Europa. E é por isso que a Europa deve [também] estar envolvida no diálogo sobre este assunto”, concluiu.