Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Carlos Moedas espera que caso José Silvano “não seja verdade”

O comissário português e militante do PSD espera que o caso das falsas presenças de José Silvano na Assembleia da República “seja esclarecido”. Moedas diz ainda que os deputados devem atuar de forma “moralmente” superior

Carlos Moedas diz que só conhece a polémica que envolve o secretário-geral do PSD pelo que tem sido escrito na imprensa. E do que leu tem apenas um desejo: "Que não seja verdade", disse aos jornalistas esta quinta-feira, à margem do Congresso do Partido Popular Europeu, em Helsínquia.

O ex-secretário de Estado adjunto de Pedro Passos Coelho e atual comissário europeu com a pasta da Inovação nunca foi deputado e por isso diz desconhecer as regras específicas da Assembleia da República. Ao mesmo tempo, aponta o dedo ao que deve ser o comportamento de um eleito em democracia.

Para Moedas, é "importante" que os deputados "tenham uma maneira de atuar que seja moralmente" superior. "Que não tenham nenhuma falta e nenhuma incorreção", acrescenta ainda. "Esperemos que isso seja esclarecido", conclui.

Já o Presidente do PSD, Rui Rio, evitou esta manhã todas as questões sobre as falsas presenças de José Silvano nas sessões plenárias no Parlamento e sobre a análise do caso que está a ser feita pela Procuradoria-Geral da República. Em Helsínquia,respondeu aos jornalistas em alemão: "Não sei do que está a falar".