Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PSD dá apoio a Manfred Weber na corrida à Comissão Europeia

EMMANUEL DUNAND/GETTY

Rui Rio avançou esta segunda-feira que o PSD está ao lado do atual líder parlamentar do Partido Popular Europeu (PPE) no Parlamento Europeu nas eleições para a presidência da Comissão Europeia

O presidente do PSD confirmou nesta segunda-feira que o partido vai apoiar o alemão Manfred Weber como candidato do Partido Popular Europeu (PPE) à presidência da Comissão Europeia, em detrimento de Alexander Stubb, antigo primeiro-ministro finlandês, escolha que irá decorrer na próxima quarta e quinta-feira, em Helsínquia. “Primeiro eu ouvi os dois, depois foram os delegados do PSD que os ouviram. Só um é que pode ser o candidato e, nesse sentido, nós apoiamos o Manfred Weber, o candidato que é atualmente líder parlamentar do Partido Popular Europeu no Parlamento Europeu”, adiantou o líder laranja.

Rui Rio sublinhou, todavia, que tanto um como outro “estão habilitados a cumprir a função", razão pela qual o PSD dará total apoio ao vencedor da corrida. O candidato do PPE à presidência da Comissão Europeia será escolhido pelos delegados do partido no Congresso de Helsínquia em maio, cabendo posteriormente ao Conselho Europeu, composto pelos chefes de Estado e de Governo dos membros da UE, designar um candidato à presidência da Comissão, o qual se submete depois a votação no Parlamento Europeu.

A delegação de 17 delegados laranja vai ser encabeçada por Rui Rio, enquanto a do CDS-PP terá cinco delegados no Congresso de Helsínquia, na Finlândia, liderada por Assunção Cristas.

De acordo com o regulamento, adotado pela Assembleia Política do PPE em Bruxelas, a 6 e 7 de setembro, no congresso da capital finlandesa terão direito a voto os membros da presidência do PPE, os presidentes dos partidos membros ordinários, partidos associados ou associações membros, e os respetivos delegados destas estruturas, assim como os chefes de Estado e de Governo dos Estados-membros da União Europeia que pertençam a um partido membro ordinário.

A maior das comitivas partidárias em Helsínquia será a da União Democrata Cristã (CDU), da chanceler alemã Angela Merkel, com 72 delegados, com os polacos do Plataforma Cívica (49), os franceses do Les Républicains (45), e os espanhóis do Partido Popular (42) a seguirem-se-lhe na lista dos partidos com maior número de votantes.

O polémico Fidesz, do primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, tem também uma delegação importante, com 29 delegados. Entre os votantes estarão ainda membros da Comissão Europeia que pertençam a um partido da maior família política europeia, e ainda representantes do PPE nas assembleias parlamentares do Conselho da Europa, da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), da NATO, do Comité das Regiões Europeu, da União para o Mediterrâneo e da Euronest.