Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo desmente contactos e troca de informação com Polícia Judiciária Militar sobre Tancos

ANTÓNIO PEDRO SANTOS

A propósito da reportagem do “Sexta às 9”, uma nota publicada no site da Presidência da República esclarece que o Presidente “nunca recebeu o Diretor” ou “qualquer elemento dessa instituição”da PJM, nem lhe foi comunicada “a operação da descoberta das armas de Tancos, antes de ela ter ocorrido”

O Presidente da República “nunca recebeu o Diretor da Polícia Judiciária Militar [PJM] ou qualquer elemento dessa instituição”, esclarece uma nota publicada esta segunda-feira no site da Presidência da Republica, a propósito da reportagem transmitida no dia 2 de novembro pela RTP, no programa “Sexta às 9”.

A nota sublinha que o Diretor da PJM se encontrava na visita a Tancos a 4 de julho de 2017, “visita essa durante a qual o Presidente percorreu, com as entidades presentes, circunstanciadamente, a área em causa e teve uma reunião com todos os responsáveis”, sem que tenha realizado “qualquer reunião bilateral com nenhum deles”.

É também desmentida a existência de trocas de informação. “Nenhum membro da Casa Civil ou da Casa Militar falou ou escreveu ao Presidente da República sobre a operação da descoberta das armas de Tancos, antes de ela ter ocorrido”, pode ler-se; assim como “não existe na Casa Civil ou na Casa Militar da Presidência da República qualquer documento relativo a operação de recuperação das armas de Tancos, antes ou depois de ter ocorrido”, acrescenta o esclarecimento.

Da mesma forma, a nota nega trocas de informação sobre a operação “depois de vinda a público, nomeadamente como sendo ou podendo vir a ser ilegal ou criminosa”.

Por documentos, precisa o texto, entendam-se também “quaisquer memorandos ou referências a reuniões com eles relacionados”.

A nota termina com a afirmação de que “não existe registo de qualquer estafeta da Presidência da República a entregar ou receber documentação da ou na Polícia Judiciária Militar”.