Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo reúne-se com Costa e não diz se mantém confiança no ministro da Defesa

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Presidente da República não empurra Azeredo Lopes, mas à pergunta sobre se mantém a confiança no ministro da Defesa, respondeu: “Vamos aguardar a conclusão deste processo e em função das responsabilidades suscitadas será possível um juízo preciso”

Marcelo Rebelo de Sousa não foi claro quando lhe perguntaram se mantém a confiança no ministro da Defesa. Interrogado por um jornalista da RTP, esta quinta-feira, em Loures, sobre se enquanto Comandante Supremo das Forças Armadas mantém a confiança em Azeredo Lopes, o Presidente da República remeteu uma resposta para o desfecho do processo judicial em curso.

"Vamos aguardar a conclusão deste processo, desta instrução criminal em curso, e, em função dos factos apurados e das responsabilidades eventualmente suscitadas, depois será possível formular um juízo preciso, concreto e específico acerca da matéria", respondeu o Presidente.

Na reunião semanal com o primeiro-ministro, esta quinta feira à tarde em Belém, havia um ponto obrigatório: a notícia do Expresso de que o ex-porta-voz da PJ Militar, Vasco Brazão, disse ao juíz de instrução do caso de Tancos que deu conhecimento ao ministro da Defesa da encenação montada em torno da recuperação das armas.

Marcelo, para já, é cauteloso. Perante o apoio mantido pelo primeiro-ministro a Azeredo Lopes e perante as declarações do próprio ministro, que nega perentoriamente as acusações de que foi alvo, o Presidente aguarda pelas cenas dos próximos capítulos para formar "um juízo preciso". Mas a resposta que deu à pergunta concreta sobre se mantém a confiança no governante não só foi evasiva como remeteu para outras responsabilidades "eventualmente suscitadas".

"Está em curso uma investigação criminal. Há que esperar que apure toda a verdade", afirmou o PR, que amanhã tem uma agenda bem próxima da instituição militar.

No âmbito das comemorações do 5 de outubro, que o levará a discursar nas cerimónias oficiais na câmara de Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa presidirá, à tarde, em Cascais, a um Festival Militar pelos três ramos das Forças Armadas.