Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Apoiantes mobilizam autocarro para ir a conferência de José Sócrates e ajudar a “demascarar a tramóia criada pela direita”

TIAGO MIRANDA

Organizam-se excursões para assistir à conferência do ex-primeiro-ministro agendada para este sábado, em Vila do Conde. Júlio Rodrigues, do PS/Porto, assume: “Sócrates é meu amigo e precisa de ajuda para desmascarar toda a tramóia criada pela direita”

José Sócrates vai estar este sábado em Vila do Conde, para uma conferência sobre a Operação Marquês que promete ser polémica: o ex-primeiro-ministro vai falar sobre Joana Marques Vidal e sobre o juiz Carlos Alexandre, a quem nunca poupou críticas. No Porto, já se organizam boleias para levar antigos camaradas e amigos à iniciativa do antigo líder do PS.

Júlio Rodrigues, que tem o pelouro da organização no secretariado da concelhia do PS/Porto, pôs um autocarro à disposição da iniciativa e vai transportar militantes do partido da cidade do Porto até Vila do Conde. “José Sócrates é meu amigo e precisa de ajuda para desmascarar toda a tramóia criada pela direita. Estou-me borrifando para que me julguem”, diz ao Expresso, assumindo que tem contactado vários camaradas do partido para esse efeito.

O socialista não tem receio que este gesto possa ser confundido com uma iniciativa da própria estrutura do PS. “Não ando a mando de ninguém, nem devo nada a ninguém”, insiste. Ainda assim, reconhece que tentou falar com Renato Sampaio, deputado e líder do PS/Porto, por uma “questão de solidariedade”. “Tentei dar-lhe uma palavrinha, mas não consegui. Ele não atendeu”, explica.

Ao Expresso, Renato Sampaio confirma a versão de Júlio Rodrigues. “Não sabia da iniciativa [de alugar o autocarro]”, garante. “Nem tinha de saber. O PS é um partido de homens e mulheres livres e um partido solidário. Fora do trabalho da concelhia, ninguém tem de me dar explicações de nada. Mas, neste caso, o PS/Porto não está envolvido”, assegura o deputado socialista, assumidamente um amigo de José Sócrates.

O tema da conferência de José Sócrates será "A Justiça vista a partir do processo Marquês". De acordo com uma fonte da organização citada pela agência Lusa, o ex-primeiro-ministro deverá falar ainda sobre o mandato da Procuradora-Geral da República cessante, Joana Marques Vidal, e sobre o juiz Carlos Alexandre — Sócrates contesta o facto de não ter existido sorteio entre os juízes Carlos Alexandre e João Bártolo, tendo o caso sido entregue diretamente ao primeiro magistrado, o que, para a defesa do antigo governante, constitui uma violação do "princípio do juiz natural".

O evento é promovido pela Associação Jusliber - Justiça e Liberdade, que já organizou outras iniciativas semelhantes — em julho de 2017, foi esta associação que patrocinou o almoço-conferência de José Sócrates em Lisboa. Apesar de se ter disponibilizado para alugar o autocarro, Júlio Rodrigues diz não conhecer a associação em causa. “Fui contactado pela Ana Lúcia Vasques [uma das principais dinamizadoras do “Movimento Cívico ‘José Sócrates Sempre’”] e coube-me esta missão.

O Expresso tentou contactar Ana Lúcia Vasques, mas não conseguiu obter qualquer resposta até à publicação desta notícia. Quanto a José Sócrates, terá mais uma oportunidade pública de se defender de um processo em que é acusado de três crimes de corrupção passiva de titular de cargo político, 16 de branqueamento de capitais, nove de falsificação de documentos e três de fraude fiscal qualificada.