Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

“Centeno vai fazer um brilharete com Orçamento do Estado histórico”, garante Mendes

Marques Mendes antecipa um Orçamento eleitoralista para 2019, mas reconhece que em termos de défice, “tecnicamente zero com as cativações”, será histórico no país democrático. Apesar do brilharete, o comentador afirma que Mário Centeno, com ou sem maioria absoluta, não fará parte do próximo Governo

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Luís Marques Mendes avançou, esta noite, que o Orçamento do Estado de 2019 vai esvaziar o combate político da oposição. Embora sustente que será eleitoralista em domínios como os passes sociais, lembra que o próximo Orçamento será histórico em termos de défice: “Vai ficar nos 0,2% do PIB, tecnicamente zero e com as cativações até um pouco excedentário”, referiu no seu habitual espaço de comentário político no seu habitual espaço de comentário político no “Jornal da Noite” da SIC, sublinhando que este resultado será histórico no país democrático.

Mendes antecipa, por isso, que criticar o OE 2019 irá ser mais difícil para PSD e CDS, partidos que sempre correram atrás desse objetivo. Apesar de reconhecer que o ministro das Finanças fará “um brilharete”, o comentador assegurou que este será o último Orçamento de Mário Centeno, revelando que, com ou sem maioria absoluta do PS nas próxinas eleições, “não fica no próximo mandato”.

Na opinião de Marques Mendes, Centeno está a trabalhar “para uma carreira internacional como comissário ou para ser presidente do futuro Fundo Monetário Europeu”, organismo a criar e semelhante ao FMI para a zona euro.

“Desgraçado do ministro das Finanças que vier depois”, rematou.