Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Cristas compara Costa a Sócrates

Inácio Rosa/Lusa

A líder do CDS acusa o primeiro-ministro de “falar do país ardido como José Sócrates falava do país falido”

Assunção Cristas considera as declarações de António Costa sobre os incêndios de Monchique “absolutamente chocantes”. Para a líder do CDS, o primeiro-ministro revela uma e uma só coisa: o Governo “não aprendeu nada com os incêndios do ano passado”.

A democrata-cristã refere-se assim às declarações polémicas do primeiro-ministro na quarta-feira, quando presidiu à reunião da Proteção Civil. Num momento em que as chamas lavravam com particular intensidade, António Costa aproveitou para salvaguardar o facto de Monchique ser a “exceção que confirma o sucesso” no combate aos incêndios. Mais: recordou que extinguir as chamas não era o mesmo que apagar a “vela de um bolo de aniversário”.

Um dia depois, e perante as críticas que as suas declarações tinham motivado, o líder socialista enviou uma nota à comunicação social onde garantia que as suas palavras tinham sido “descontextualizadas e deturpadas” e que, em momento algum, procurara desdramatizar a situação que se vivia na região algarvia.

Para Cristas, no entanto, o “suposto esclarecimento do primeiro-ministro” é só mais uma evidência de que “há uma insensibilidade gritante” e “um descontrolo total” no Governo, que continua a “correr atrás do prejuízo” e a “insistir que os outros é que percebem tudo mal”.

“O tom leviano, a tentativa de branquear a realidade, a sobranceria, são absolutamente chocantes. António Costa fala do país ardido como José Sócrates falava do país falido”, diz a líder do CDS, em declarações ao Expresso.

Onde é que andou?

Assunção Cristas questiona também o timing de António Costa. “Enquanto Monchique ardia, o primeiro-ministro estava em parte incerta. Apareceu tarde e a más horas. E quando apareceu foi para dizer que estava tudo maravilhoso”, acusa a líder do CDS.
Garantindo que os democratas-cristãos vão exigir o apuramento de todas as responsabilidades quando o momento for mais oportuno, Assunção Cristas tem já uma certeza: “António Costa não aprendeu nada com o que aconteceu no ano passado.”
Na sexta-feira, o incêndio de Monchique foi finalmente dominado. É, até ao momento, o maior fogo do ano na Europa.