Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Tancos. CDS quer ouvir chefe do Exército e pede lista completa das armas recuperadas

nuno botelho

Centristas querem chamar Rovisco Duarte ao Parlamento “com a maior urgência”. O Expresso revelou no sábado passado que ainda há armas por recuperar na sequência do furto nos paióis de Tancos

O CDS quer ouvir "com a maior urgência" o Chefe do Estado Maior do Exército no Parlamento. O requerimento, que será apresentado ainda esta terça-feira na Assembleia da República, tem por objetivo pedir "um cabal esclarecimento" sobre a manchete do Expresso deste sábado que dava conta de que ainda há armas por recuperar na sequência do assalto aos paióis de Tancos.

"As informações tornadas públicas, no passado dia 14 do presente mês, contrariam as afirmações prestadas pelo Chefe do Estado Maior do Exército, em outubro de 2017, relativamente à recuperação do material militar furtado", recordam os centristas no documento a que o Expresso teve acesso. "Lamentavelmente, um ano depois, permanecem por apurar integralmente os factos e as eventuais responsabilidades."

Além desta audição, o CDS solicita ainda que seja facultada à Comissão de Defesa do Parlamento a listagem completa do material recuperado. Já no fim de semana os centristas tinham assegurado que não excluem a hipótese de criar uma comissão de inquérito parlamentar para esclarecer todos os contornos do furto de Tancos, em junho passado - uma hipótese também admitida pelo líder do PSD, Rui Rio. Mas a primeira reação foi mesmo do Presidente da República, que minutos depois de ser conhecida a capa do Expresso emitia uma nota no site da Presidência exigindo um "cabal esclarecimento" dos factos.

O Expresso noticiou no sábado passado que ainda há armas, nomeadamente explosivos e granadas, por recuperar do assalto a Tancos. Uma exposição do Ministério Público relativamente a este assunto sublinha mesmo que este armamento na posse de desconhecidos "representa um perigo para a segurança interna".