Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Gabinete do PSD em Lisboa atingido com tiros de pressão de ar

Deputados municipais do PSD encontraram o vidro de uma das janelas das instalações estilhaçado pelo impacto de um projétil

O gabinete do PSD na Assembleia Municipal de Lisboa ficou com o vidro estilhaçado. Uma outra sala da Assembleia Municipal também foi atingida. Luís Newton, líder da bancada municipal do partido, diz-se “estupefacto”

O gabinete do PSD na Assembleia Municipal de Lisboa foi atingido por um tiro de pressão de ar durante o fim de semana. O incidente foi reportado às autoridades esta segunda-feira, quando os deputados municipais do partido encontraram o vidro de uma das janelas das instalações estilhaçado pelo impacto do projétil.

Esta sala, no terceiro andar do Fórum Lisboa, não foi a única a ser atingida. O vidro de um outro gabinete, usado como espaço comum de reuniões e situado no quarto piso, também ficou destruído.

A informação foi inicialmente avançada por vários órgãos de comunicação social e confirmada ao Expresso por Luís Newton. O líder da bancada do PSD na Assembleia Municipal de Lisboa e presidente da junta de freguesia da Estrela diz-se “estupefacto” com o sucedido e espera agora que as autoridades concluam a respetiva perícia. “É algo completamente inédito. Não sabemos se foi um ato deliberado contra o PSD ou contra os deputados da Assembleia Municipal”, sublinha.

Newton, assim como outros elementos do PSD e também do PS em Lisboa, viram-se envolvidos na Operação Tutti Frutti, uma operação judicial que investiga um alegado esquema de contratos e avenças ilegais. Ao Expresso, Luís Newton preferiu não estabelecer qualquer tipo de relação entre este incidente e a investigação e garantiu não ter recebido “qualquer tipo de ameaça”. Ainda assim, o social-democrata não deixa de notar que a segunda janela em causa fica "imediatamente acima" da do gabinete do PSD, pelo que não é de excluir a hipótese de que a intenção incial fosse mesmo atingir a sala do partido.

De acordo com o líder da bancada municipal do PSD, um dos projéteis foi encontrado nos jardins do Fórum Lisboa, já depois de a polícia ter ido uma primeira vez às instalações da Assembleia Municipal. Chamada novamente ao local, a PSP recolheu os projéteis e está a agora a conduzir a investigação e a recolher indícios no terreno.

Ao Expresso, fonte da PSP descartou a possibilidade de se tratar de um ataque com arma de fogo, até porque os projéteis (“pequenas esferas metálicas”) não chegaram a perfurar por completo o vidro. O mais provável, acredita a polícia, é tratar-se de uma arma de pressão de ar.