Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

35 horas? Para Assunção Cristas, os portugueses precisam de "trabalhar muito"

ARM\303\211NIO BELO

Em Ponte de Lima, à margem de uma visita à Feira do Cavalo, a líder centrista expressou o seu desacordo face à implementação das 35 horas semanais no Estado. "Infelizmente continuamos a estar atrás dos outros países no que diz respeito à competitividade", recorda

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, afirmou este sábado que os portugueses precisam de "trabalhar muito", quando questionada sobre o regresso dos profissionais de saúde às 35 horas semanais de trabalho. "No país, precisamos de trabalhar muito, porque infelizmente continuamos a estar atrás dos outros países no que diz respeito à competitividade da nossa economia", disse Cristas aos jornalistas em Ponte de Lima, à margem de uma visita à Feira do Cavalo.

A partir deste domingo, enfermeiros, assistentes e técnicos de diagnóstico vão regressar às 35 horas de trabalho semanais, em vez das 40 atuais, numa altura de férias e em que estão marcadas greves às horas extraordinárias. Para Cristas, esta diminuição de horas de trabalho irá conduzir à degradação dos serviços, "caso o Governo não abra os cordões à bolsa" para a contratação de mais profissionais.

"Ou o Governo abre os cordões à bolsa para fazer mais contratações, e isso não está a acontecer (...), ou serão os mesmos de sempre a terem de sofrer mais e a serem penalizados com esta opção", referiu. Lembrou que o CDS-PP já vem alertando há dois anos para as "dificuldades" decorrentes da implementação das 35 horas na função pública, que tem conduzido à "degradação enorme" dos serviços".