Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Podcasts Expresso

    Cultura, política, economia, sociedade. Acompanhe com estes podcasts alguns dos melhores debates da rádio e da televisão. Para ouvi-los nos seus dispositivos móveis e no computador, copie e adicione o seguinte URL à sua aplicação de podcasts: http://bit.ly/1TnvM3J

  • Comissão Política

    Podcast da secção de política do Expresso. A análise por jornalistas da redação do jornal de temas da atualidade - e do que não lhes sai da cabeça...

  • A beleza das pequenas coisas

    Conversas pelo país conduzidas por Bernardo Mendonça com as mais variadas personagens que contam histórias maiores do que a vida. Ou tão simples como ela pode ser

  • Palavra de Autor

    Podcast do Expresso sobre livros. De quinze em quinze dias, à quarta-feira, um novo episódio com um convidado do mundo das letras. Escritores, poetas, editores e tradutores são chamados a palco para ler e falar sobre novidades editoriais

  • PBX

    Inês Meneses e Pedro Mexia conduzem um programa sobre a atualidade cultural feito em parceria entre o Expresso e a rádio Radar

  • Conselho de Diretores

    Conselho de Diretores: meia hora para perceber o que acontece e saber o que pode acontecer – e muitas vezes também para rir com as nossas graças e desgraças. É um programa para ouvir e repetir: todas as quintas-feiras pelas 23h30, em direto na Renascença, ou todas as sextas em podcast, a análise da atualidade política, económica e social, com o painel composto por Graça Franco, Henrique Monteiro e Pedro Santos Guerreiro, sob a moderação do jornalista José Pedro Frazão. Uma parceria entre a Renascença e o Expresso

  • F5

    Histórias cheias de gente, contadas pelos repórteres do Expresso que não quiseram, ou não conseguiram, esquecê-las

  • Capicua: “Marcelo previne a aparição dos messias populistas que canalizam a atenção e descontentamento das pessoas, como Bolsonaro e Trump”

    A Beleza das Pequenas Coisas

    Ela é a comandante da guerrilha cor-de-rosa. Abelha rainha da colmeia do Rap - que abriu novos caminhos e ocupou um espaço vazio num meio tradicionalmente masculino. E, por vezes, machista. Ela é a Ana Matos Fernandes, já grafitou paredes como Odd (ímpar, em inglês), mas é acima de tudo conhecida como a Capicua ou a Capi. Há dez anos que esta MC canta a sua história e as suas causas - o feminismo e as injustiças políticas e sociais do seu país. Depois do disco luso-brasileiro “Língua Franca” (em parceria com Valete, Emicida e Rael) Capicua prepara-se para dois partos em 2019. No 5.º mês de gravidez, será mãe do seu primeiro filho e lançará até à próxima primavera o seu próximo disco: “É o álbum mais solar e dançável que alguma vez fiz”. Para ouvir neste episódio do podcast “A Beleza das Pequenas Coisas”

  • Comissão Política extra: causas e consequências de uma remodelação inesperada

    Comissão Política

    Depois do furacão Leslie, António Costa aproveitou a depressão Azeredo para mandar embora outros três ministros. A um ano das eleições, faz a primeira remodelação digna desse nome, mudando quatro protagonistas. Os novos não riscaram nada sobre o único Orçamento com que terão de trabalhar. O Governo fica mais forte em ano de eleições? Sobre isso, há duas escolas de pensamento. Vale a pena ouvir

  • Joana Marques: “Não me apetece fazer piadas brejeiras ou piadas com crianças que morrem de cancro. Nada contra, mas não me fazem rir”

    A Beleza das Pequenas Coisas

    Ela é a Joana Marques, a procuradora dos muitos ridículos do nosso quotidiano, a que faz rir. E muito. Começou como guionista nas Produções Fictícias e hoje é das figuras mais interessantes do humor português. Atualmente nas manhãs da Antena 3, é autora da rubrica satírica “Extremamente Desagradável” e faz parte do painel do “Irritações”, da SIC Radical. Este ano lançou o livro “O Meu Coração Só Tem Uma Cor — 90 minutos à Porto”, que contou com prefácio de Pinto da Costa, que lhe elogiou o talento e lhe chamou “dragona”. E esta ‘dragona’ chega a lançar aqui as suas chamas: “Não gosto da Madonna, não sou grande fã do Nilton, não adoro Maria Vieira. Fazem parte do leque de pessoas que não convidaria para jantar cá em casa. Já o Goucha, está convidado. Quando ele quiser...” Para ouvir neste episódio do podcast “A Beleza das Pequenas Coisas”

  • Palavra de Autor #7 Valério Romão: “Se um escritor se apaixonar por ti não vais morrer”

    Palavra de Autor

    Cristina Margato

    Os seus livros costumam precisar de avisos, ora porque não podem ser lidos por pais com filhos em gestação, ora porque nos confrontam com a morte, com a perda de memória, com o fim de um ideal. Valério Romão não vê a literatura como um lugar asséptico. Nem a vida como um percurso alheio a sobressaltos: “À luz da infância, a idade adulta parece ser sempre melhor do que aquilo que virá a ser”. Pensa na escrita como uma partitura musical, e acredita que ser amigo de um escritor é um perigo. No sétimo episódio de “Palavra de Autor”, lê e conversa com Cristina Margato sobre o seu último livro: “Cair para Dentro”. O fim de uma trilogia dedicada à família. Ou a algumas das suas infelicidades

  • Miguel Gonçalves Mendes: “O mundo é um desastre. Trump, Bolsonaro. Se queremos amar e mudar o que nos rodeia, temos de fazer algo”

    A Beleza das Pequenas Coisas

    O que se anda a passar no mundo até pode ser uma trampa, mas há filmes que nos fazem acreditar na humanidade. E percebê-la mais a fundo. Exemplo disso são as obras do realizador Miguel Gonçalves Mendes, tão transgressoras e subversivas, como cheias de verdade, esperança e poesia. Ele é o realizador do documentário português mais visto de sempre, “José e Pilar”, que conquistou a crítica e o público internacional ao revelar a intimidade do escritor e Nobel da literatura José Saramago, e da sua mulher Pilar del Rio, como nunca antes. Já antes Miguel Gonçalves Mendes retratara o poeta e surrealista Mário Cesariny e, este ano, levou-nos aos labirintos da cabeça do filósofo Eduardo Lourenço, em “O Labirinto da Saudade”. Mas o filme que vai estrear em 2019 é ainda mais ambicioso e empolgante. Chama-se “O Sentido da Vida” e fê-lo embarcar numa viagem ao redor do mundo a fim de questionar a nossa existência. Qual o sentido da vida? É ouvir neste episódio do podcast “A Beleza das Pequenas Coisas”

  • Comissão Política #50: Dá para “coiso” mas não dá para casar

    Comissão Política

    Com o OE quase arrumado, Costa tem boas notícias para quase todos: funcionários públicos, pensionistas, famílias de menores rendimentos, utilizadores de passe social, apreciadores de contas certas... Mas, inaugurando o conceito de eleitoralismo com rigor, o PM recusa baixar o IVA da eletricidade, reivindicação do BE e do PCP. O limite das relações na geringonça está traçado: dá para continuar o que existe, mas "não dá para casar"

  • Nuno Lopes: “Há atores do Instagram que trabalham para serem famosos mas não são artistas. Prefiro trabalhar com os outros”

    A Beleza das Pequenas Coisas

    Ele é um dos nossos melhores atores, de uma versatilidade e verdade fora de série, o que o tem levado a distinguir-se no cinema, no teatro, na televisão. A fazer-nos rir, chorar ou, por vezes, engolir em seco com ficções próximas da realidade. O prémio que Nuno Lopes recebeu há dois anos no Festival de Cinema de Veneza, pela sua representação de um boxeur cobrador de dívidas — um santo a arder no inferno, em “São Jorge”, de Marco Martins, foi mais um aplauso internacional a confirmar isso mesmo. Agora regressa ao humor na série televisiva “Sara”, na RTP2. Uma sátira criada por Bruno Nogueira e realizada por Marco Martins, onde representa um ator de novelas e do Instagram, inspirado em famosos da nossa praça. Para ouvir neste episódio do podcast “A Beleza das Pequenas Coisas”

  • PBX: Um outono fintado pelo verão, amantes na guerra mais fria e o punk que afinal não morreu

    PBX

    Inês Meneses e Pedro Mexia

    Nos dias quentes de setembro, Pedro Mexia e Inês Meneses mergulharam na Guerra Fria de Pawel Pawlikowski. Do filme emerge uma estrela chamada Joanna Kulig. Afinal o Punk não morreu: de Bristol, os ecos nada meigos dos Idles mas a celebrar a vida com o disco, "Joy as an Act of Resistance. E assinalamos os 20 anos de Deserter´s Songs dos Mercury Rev, um disco que mudou muitas vidas