Siga-nos

Perfil

Expresso

Paulo Querido

Wikipédia: todos tentam manipulá-la

A Wikipédia nunca deixou de estar debaixo de fogo. O episódio Sócrates apenas confirma que, vendo que podem editar os artigos, todos tentam manipulá-los de acordo com os seus interesses.

Cinco perguntas a Manuel Anastácio (ver final), um dos editores da Wikipédia de língua portuguesa mais antigos, activo desde 2004.

1. Como classifica as notícias que mencionam as alterações da ficha de José Sócrates na Wikipédia de língua inglesa como manipulação e censura?

Quem contribui em qualquer artigo da Wikipédia sem estar familiarizado com a política de neutralidade do projecto ou que não acredite na pura e simples possibilidade de qualquer neutralidade tem sempre tendência a apresentar as informações sob um ponto de vista parcial, acentuado alguns aspectos do assunto abordado, enquanto que omite ou suaviza outros.

De facto, isso acontece invariavelmente com qualquer contribuidor da Wikipédia, como acontece com qualquer jornalista ou mesmo com qualquer redactor de artigos científicos. Contudo, a Wikipédia é um projecto que parte do princípio que é possível criar um equilíbrio na apresentação dos factos. Isso passará, eventualmente, pela manutenção de artigos de qualidade duvidosa onde se intercalam ataques e defesas a um determinado político ou assunto polémico - onde os vários utilizadores tentam demonstrar o seu ponto de vista. Uma das regras básicas, contudo, é não apagar informação (a não ser que seja manifestamente falsa), mas complementá-la. Isto é, se para uma dada informação incómoda existe um "contudo", deve-se acrescentar esse contudo e não, simplesmente, apagar a informação que não queremos que conste no artigo. Se a informação for considerada irrelevante para o assunto em causa, deve-se discutir isso numa página que está anexa ao artigo e que serve exactamente para esse efeito.

Ora, violações das regras estabelecidas na Wikipédia, como seja a remoção de conteúdo sem qualquer justificação são feitas constantemente, por parte de todo o tipo de contribuintes para o projecto.

As alterações na ficha de José Sócrates na Wikipédia de língua inglesa (e na de língua portuguesa, pelo mesmo IP que tem sido indicado pelos órgãos de comunicação) são considerados, de facto, como vandalismo segundo as normas da Wikipédia, já que consistiram na remoção de texto válido sem qualquer justificação que tenha sido aceite ou tolerada pela comunidade, na página de discussão. Contudo, a verdade é que esse utilizador usou as mesmas armas que tantos outros utilizadores. A censura passaria pela coação directa de quem dirige a Wikipédia. E isso é virtualmente impossível, já que a Wikipédia é dirigida por todos aqueles que nela participam (aceitando as normas do projecto - ou, pelo menos, as mais importantes). Sendo a Wikipédia como é, actualmente, não existe uma hierarquia com poderes de coacção ou que defina parâmetros editoriais - estes estão na mão de todos os que aceitam defini-los de modo participado em busca de consenso.

Logo: houve manipulação? Claro que sim - todos têm esse desejo e, vendo que podem editar os artigos, tentam, inicialmente, manipulá-los de acordo com os seus interesses. Essa manipulação poderia, alguma vez, ser eficaz? Claro que não. O assunto em questão era por demais mediático para que o artigo permanecesse sem uma menção a ele. Mesmo que alguém não tivesse reparado na alteração (o que seria difícil, porque sendo um artigo sobre um primeiro-ministro é, desde logo, um dos artigos mais vigiados porque também já tem uma longa história de vandalismo), alguém acrescentaria a informação pouco tempo depois.

Houve censura? Não. Houve apenas ingenuidade. A única forma de censurar a Wikipédia é censurá-la no seu todo, negando o acesso de todos os computadores de um país ao projecto. De outra forma, enquanto existir Wikipédia, as únicas pessoas que a podem controlar são... todas as pessoas.

2. Existe alguma forma de detectar a autoria física das edições, ou seja, a pessoa, ou pelo menos uma conta, no caso em que o utilizador não se regista (ficando apenas o IP)?

Obviamente que não. Pelo menos para qualquer vulgar utilizador da internet. As agências de informação, serviços secretos e polícias judiciárias terão, com certeza, meios de acção que não estão disponíveis para o comum dos cidadãos - mas isso é assunto que não me cabe a mim desenvolver. Há, contudo, meios que permitem localizar de forma muito rude a origem de acções específicas na Internet - meios esse que estão disponíveis para qualquer pessoa. Mas tais ferramentas dão por vezes resultados errados. Experiências que efectuei numa dessas ferramentas, ao verificar as vezes em que eu mesmo acedia ao meu blog, ora me localizavam com alguma precisão em Guimarães ou arredores, ora me localizavam em locais tão dípares como Alijó ou Moscavide... Claro que o grau de eficiência poderá depender da ferramenta em questão, contudo, creio que o assunto é mais complexo do que eu poderei alguma vez elucidar.

3. Como participante experimentado da Wikipédia, já tinha assistido a casos do género? Como reagem em regra os editores da Wikipédia?

Qualquer pessoa que tenha uma dada orientação política, religiosa ou filosófica tem tendência a reescrever os artigos de acordo com o que considera correcto e, mesmo quando se decide a discutir a formulação do texto com outros utilizadores, tem sempre a tentação de discutir as suas opções filosóficas e éticas em vez de discutir se as informações são factuais ou não. Como é difícil mudar de opinião (e vivemos num meio onde os vira-casacas são muito mal vistos), estas pessoas, geralmente, desistem da Wikipédia e começam a difamá-la noutros locais (em blogues e jornais, por exemplo) acusando-a ora de esquerdismo, ora de direitismo, ora de comunismo ora de fascismo. Outras pessoas, contudo, evoluem no sentido de imparcializar as suas contribuições.

Muitas críticas são feitas a este tipo de imparcialização típico da Wikipédia, que é frequentemente identificado pejorativamente com o "politicamente correcto", "marxismo ideológico" ou mesmo "maoísmo digital".

Duvido que a Wikipédia sobrevivesse sob o regime de Mao ou num regime marxista, mas é assim que ela é classificada por muitos bem-pensantes.

Contudo, aqueles que persistem na demanda sem fim da Wikipédia (um artigo nunca tem aqui a sua versão definitiva) não dramatizam muito este género de vandalismo, já que o histórico do artigo permanece na íntegra. Mais tarde ou mais cedo, o ímpeto censório de quem retira informação vira-se contra ele mesmo, já que o vandalismo passa a ser publicitado, dando maior visibilidade àquilo que se queria esconder. Como aconteceu, de facto, com o artigo de José Sócrates mesmo antes da invenção do Wikipedia Scanner, que já tinha sido notícia anteriormente devido a este mesmo facto (só não se tinha investigado a procedência do IP).

4. Que outros casos do género conhece, no âmbito português?

Qualquer artigo sobre figuras públicas, políticas ou não, é alvo de vandalismo, inserção de informações falsas ou insultuosas e remoção de informação incómoda para defensores ou detractores. Tanto acontece para actores dos Morangos com Açúcar vs. actores da Floribella, como para com os ministros, primeiros-ministros e líderes da oposição.

Toda a gente, ofuscada pela possibilidade de poder retocar os artigos em liberdade cai na tentação de ridiculalizar os oponentes e suavizar a imagem dos seus líderes.

Aliás, os artigos de política na Wikipédia lusófona são, de um modo geral, de bastante má qualidade porque a maioria das pessoas não tem paciência para os editar nem para inevitáveis e intermináveis discussões, pelo que muitos artigos ficam na mãos da meia dúzia de pessoas, ideologicamente orientadas, que os mantém.

Contudo isso só continua assim porque as oposições se mantêm impávidas e serenas. Se houvesse outra cultura de participação e discussão, creio que os artigos cresceriam em informação, de forma imparcial. Entretanto, é normal que alguns artigos permaneçam nas mãos de grupos políticos que têm maior vocação para o diálogo e que, por esse meio, conseguem defender e instalar a sua versão dos factos na Wikipédia. Mas isso não tem de ser assim. Basta que todos participem, de forma serena e centrada nos factos e não nas opiniões. É difícil, mas é um óptimo exercício de disciplina. Se os artigos são tendenciosos hoje, a Wikipédia ainda não fechou as portas a ninguém.

5. Como classifica o wikiscanner?

Uma ferramenta interessante, que ajuda a esclarecer algumas coisas em relação a determinadas contribuições na Wikipédia, mas que apenas veio revelar o óbvio: cada entidade tenta dar de si uma imagem positiva, ao mesmo tempo que tenta denegrir a imagem dos oponentes. No futuro, contudo, os seus dados serão também muito manipuláveis. Basta que quem quer modificar artigos num determinado sentido use computadores insuspeitos. Entretanto, serviu para revelar alguns casos anedóticos, mas não mais que isso. E talvez sirva para que aqueles que tentam usar a Wikipédia como meio de promoção pensem duas vezes antes de o fazer. É que mesmo antes da invenção do Wikipedia Scanner, já o resultado era frequentemente o oposto. Os artigos podem ser laudatórios por dias ou até meses, mas assim que a estratégia publicitária é desmascarada (e são desmascaradas estratégias desse género todos os dias em todas as Wikipédias), o efeito é exactamente o oposto, ao cair no anátema da opinião Wikipedista, em páginas que o Google privilegia particularmente.

Manuel Anastácio é editor da Wikipédia e tem um blogue, Da condição humana.



Paulo Querido