Siga-nos

Perfil

Expresso

A semana

A semana, por Martim Silva

Martim Silva (www.expresso.pt)

Pedir desculpas Quando um político pede sacrifícios brutais aos cidadãos deve pedir desculpa ou apelar à compreensão popular? Questão semântica, mas que dividiu esta semana Passos Coelho e o PSD, de um lado, e o Governo socialista, do outro. O pedido de desculpa de Passos aos portugueses depois do acordo do "garrote fiscal" abriu as hostilidades. Os socialistas afirmam que político que pede desculpa deve deixar o lugar. A frase pode ser boa para Passos a curto prazo, mas pode tornar-se uma sombra que o perseguirá durante anos.

Bento XVI Depois da relação próxima do Papa João Paulo II com Portugal, e em particular com o culto mariano de Fátima, era com expectativa que se aguardava a primeira visita de Bento XVI. Afinal, o teólogo alemão que se tornou sucessor de Pedro tem um rosto humano

Cimeira UE Depois da paralisia de meses que fez tremer o euro, eis que os países da União Europeia finalmente acordaram e aceitaram dar o sinal decisivo: estamos juntos, ninguém cai, foi criado um fundo de mais de 700 mil milhões para acudir a urgências. Eis uma boa notícia, ainda que muito atrasada. Como não há almoços grátis, o verso da moeda é que é doloroso: o aperto do controlo orçamental sobre os países cumpridores. Portugal incluído.

PS/PSD Uma semana de jogo do empurra entre os dois maiores partidos. O Governo a não querer fazer o mal (subir os impostos) sozinho, sem contar com o apoio do maior partido da oposição. O PSD a tentar não se queimar demasiado neste fogo e a exigir cortes na despesa. O acordo surgiu. Com Passos e Sócrates na fotografia. O risco é maior para quem governa (Sócrates) mas também existe para quem lhe deu a mão (Passos).

Obras públicas Uma novela mexicana que, como todas, é de gosto duvidoso. José Sócrates manda parar a terceira travessia do Tejo para o TGV. Mas o troço Poceirão-Caia avança no mesmo dia, com a assinatura do contrato. Vai haver nova ponte? Quando? O TGV vai ser só 'meio TGV'? Sobram contradições e meias palavras e faltam muitas explicações.

Obama O Presidente dos EUA nomeou esta semana o segundo nome para o decisivo Supremo Tribunal (composto por nove juízes, com mandato ilimitado). E voltou a escolher uma mulher para o lugar. Elena Kagan de seu nome. Há presidentes americanos que passam o mandato inteiro sem conseguir nomear um juiz, Obama já vai no segundo em menos de ano e meio - e o pendor mais liberal ou conservador do Supremo pode ser decisivo no dirimir de questões delicadas.

Nuvem Depois de semanas de acalmia, regressou a nuvem do vulcão islandês. Aeroportos fechados, voos adiados, o caos no ar europeu que teima em não passar.

David Cameron O Reino Unido, depois do confuso resultado eleitoral que impediu uma maioria absoluta de um partido, já tem primeiro-ministro, e por sinal o mais novo dos últimos 200 anos. A revelação da campanha, Nick Clegg, leva os seus liberais-democratas ao executivo. Não passou uma semana das eleições e já o novo governo começou a trabalhar.

Juan Carlos O Rei de Espanha foi operado de surpresa a um nódulo no pulmão. Já teve alta. Susto em Espanha.

Comissão de Ética Os deputados recusaram analisar o comportamento do socialista Ricardo Rodrigues (entretanto em retiro estratégico), que furtou dois gravadores a jornalistas da "Sábado". Ficamos a saber para que não serve a comissão, falta apurar para que é que serve, afinal!

201 milhões de euros é quanto vale a selecção nacional de futebol (somados os valores dos jogadores), à partida para o Mundial da África do Sul. Das 32 selecções, só quatro nos ultrapassam: Espanha, Argentina, Inglaterra e Brasil.

Texto publicado na edição do Expresso de 15 de Maio de 2009