Siga-nos

Perfil

Expresso

João Vieira Pereira

Pagas tu uso eu

João Vieira Pereira (www.expresso.pt)

O princípio do utilizador pagador é, regra geral, justo. Não existe racionalidade económica que explique porque é que um habitante de Barrancos tem de suportar os custos para que um morador em Viana do Castelo possa utilizar a A28. O princípio do utilizador pagador defende que o interesse coletivo é maximizado quando o decisor individual que recolhe os benefícios é também quem paga os custos associados à sua escolha.

Antes de começar a buzinar, pense porque é que os impostos de quem vive longe de tudo e de todos têm de suportar o conforto que a autoestrada colocada à porta de sua casa lhe proporciona. Claro que existem exceções, em que o acesso a determinados bens ou serviços deve ser feito a preços reduzidos ou mesmo ser gratuito, por exemplo quando estão em causa valores de coesão social. Estamos a falar do acesso à educação, saúde, segurança, justiça..., não estamos com certeza a falar de conduzir o seu carro ao longo de quilómetros de asfalto de alta qualidade espalhado por quatro faixas de rodagem...

Ridícula é a falta de coragem de Sócrates, que afinal é uma das suas grandes qualidades, ao defender que os moradores e os comerciantes deveriam ficar isentos de qualquer pagamento. Depois de ter sido criado em Portugal o disparate de uns sortudos terem autoestradas que todos pagam, agora Sócrates, o socialista, ameaça criar a patetice de uns sortudos terem autoestradas que todos pagam, se bem que alguns passem a pagar a dobrar. Os empresários do turismo vão adorar!

As SCUT há muito que deixaram de ser um problema socioeconómico. As SCUT são um problema político que nenhum governo quer resolver. Calçaram uma bota mal cheirosa e cheia de buracos por onde saem rios de dinheiro e agora ninguém tem a coragem de a descalçar. Pior, com o novo Plano Rodoviário preparam-se para tornar a bota maior, a tresandar e com buracos ainda maiores. Se Passos Coelho quer prestar um verdadeiro serviço ao país obrigue o Governo a parar as novas estradas. E se não for por motivos patrióticos, que seja por interesse próprio. É que daqui a cinco anos as novas estradas têm de começar a ser pagas...

Adiós Vivo?

Dia 30 decide-se o futuro da PT e de parte da economia portuguesa. Não vale a pena culpar a Telefónica. Culpem os acionistas portugueses que durante anos usaram a PT para encher os bolsos em vez de criarem uma empresa capaz de resistir perante a investida espanhola. Agora vem o canto do cisne montando em milhões e depois? Bem... depois acabou-se a festa...

Texto publicado na edição do Expresso de 26 de Junho de 2010