Siga-nos

Perfil

Expresso

Daniel Bessa

Un Conselho Fiscal?

Daniel Bessa (www.expresso.pt)

No mundo cada vez mais sofisticado das empresas cotadas em bolsa, verifica-se uma exigência crescente sobre a actividade dos Conselhos Fiscais. Os accionistas são aos milhares, fragmentados, acompanhando de longe a administração das sociedades. Sabem da vida destas, muitas vezes, o que lhes é contado pelos Conselhos de Administração - corpos profissionais coesos, com uma presença permanente, tendo por obrigação cuidar da vida dos accionistas mas também com interesses próprios: salários e prémios de gestão por vezes elevados, interesse em renovar o mandato, preocupação mais com o curto do que com o longo prazo. Ficando bem à vista o possível conflito de interesses, pede-se ao Conselho Fiscal que se responsabilize pela verdade material expressa nas contas e que se pronuncie sobre questões como sustentabilidade e grandes riscos que afectam a vida da sociedade.

Portugal pode equiparar-se a uma S.A. Os accionistas somos nós, os dez milhões. O Governo está no lugar do Conselho de Administração ou da sua Comissão Executiva. A maioria da Assembleia da República não é suficientemente independente do Governo, emanando da mesma fonte de poder. Se a CMVM tratasse do assunto, diria que os accionistas não estão suficientemente protegidos. Falta, manifestamente, o Conselho Fiscal.

Texto publicado na edição do Expresso de 19 de Junho de 2010