Siga-nos

Perfil

Expresso

Joviana Benedito

Cibercastelos no éter

O seu nick no ICQ era Nostálgico. Detestava o frio da serra da Estrela por contraste com o calor de Moçambique. Meia-idade. Disponível. Não respondia à pergunta habitual na Net: como és fisicamente? Enviava de imediato uma foto para mostrar um homem elegante e bem apessoado junto de um carrão. Procurava nesta idade a companhia que nunca tivera e para isso a net pareceu-lhe a grande oportunidade. O chat e o paltalk eram as formas utilizadas para fazer amigos/as e amenizar a solidão que levava numa aldeia parada. A língua portuguesa o seu veículo.

O seu nick era LuaCheia. Brasileira, culta, meia-idade, livre, com viagem marcada para Portugal. Frequentava o chat e o paltalk para fazer um amigo, um acompanhante e suporte logístico. Ficou encantada com o perfil e a foto do Nostálgico. Com ele encontraria uns velhos antepassados no norte, uns amigos virtuais no Algarve e visitaria pontos de interesse. Foram três meses de serões quase diários e intermináveis.

Ele dialogou, sonhou, fantasiou, namorou, noivou, sentiu a vida cheia com a LuaCheia. "Tomou a nuvem por Juno". Entregou a sua cabeça, o seu coração e a sua energia a esta relação. Fazia cibercastelos e aplicava-lhes as regras da vida real. Preparou a casa, comprou prendas, fez projectos de férias e de vida, qual Mofina Mendes com o seu pote de azeite. Acreditou que a sua situação ia mudar. Era esse o seu maior desejo. Amou (disse ele).

Ela dialogou, tomou informações do país, conheceu, calculou, racionalizou. Três meses. Sumiu.

Ele entrava todas as noites no paltalk. Ela ausente. Mudou de nick. Reconheceu-a mesmo com um nick diferente. Insultou-a. Chamou-lhe sedutora, interesseira e sádica.

Ela explicou-lhe porque sumira: fez silêncio para que ele percebesse que ela não fazia parte do seu projecto e que tudo se passava apenas ao nível da sua fantasia e desejo.

O Nostálgico voltou ao chat e encontrou de novo os velhos amigos/as. À Lecas, a sua maior amiga e confidente, contou a sua decepção, o seu amor traído, o seu sofrimento e desencanto. Lecas lembrou-lhe que ele passou três meses de felicidade que ninguém lhe poderia já roubar. Convidou-o para um passeio. Ele aceitou.

Pararam nas chegadas do aeroporto do Porto. Saíram e encostaram-se ao carro. LuaCheia saia risonha e com o olhar direccionado. Um cavalheiro foi ao seu encontro e apertou-a num grande abraço. Lecas e o Nostálgico fixaram bem o parzinho que vinha na sua direcção. Ela reconheceu o Nostálgico e sorriu-lhe. Cumprimentaram-se. Fizeram as apresentações e despediram-se. Quando LuaCheia dizia adeus pela janela, o Nostálgico sentava-se no lugar do condutor.

Joviana Benedito

P
rofª. aposentada do Ensino Sec. e autora