Siga-nos

Perfil

Expresso

Lixo de luxo

A Burberry queimou 28 milhões de libras de excesso de inventário. Mais de 31 milhões de euros na fogueira das vaidades. Num comunicado, a Burberry disse que o fez de uma forma eficiente e limpa, ecológica, como se esta obscenidade pudesse ser eliminada por eficiência e limpeza, o spinning do costume. Para não colocar a mercadoria nos outlets, e para impedir a contrafação, a Burberry prefere incendiar roupas e maquilhagens, mantendo os preços altos e os produtos inacessíveis. E não só a Burberry, quase todas as marcas têm hoje excesso de inventário. A H&M queima em fornos as toneladas de roupa e sapatos, e assim fazem marcas que desataram a produzir em massa, para o mercado milionário e millennial, roupas de luxo que ninguém compra ou usa.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)