Siga-nos

Perfil

Expresso

Comendador Marques de Correia - Cartas Abertas

Não há quem mais trabalhe neste país do que os chefes - só os grandes chefes!

Onde o nosso Comendador, num golpe dos que só ele sabe dar, consegue desvendar as agendas de quatro poderosos homens de Portugal, tudo no intuito de demonstrar o tanto que trabalham.

Comendador Marques de Correia (www.expresso.pt)

As pessoas que mais trabalham em Portugal são os chefes. Mais do que os chefes, só os grandes chefes. Após cuidados estudos que nos levaram de São Bento às Picoas e daí a Belém, passando pela Avenida da Liberdade que é sempre em caminho, publicamos as agendas de quatro grandes chefes para o próximo dia útil.

Grande chefe das Picoas, Zeinal Bava

08h00 - Assinar papéis e ler os jornais

08h30 - Telefonar ao Rui Pedro Soares a pedir-lhe que deixe de se meter com ele.

10h00-13h00 - Desligar o telefone e fazer reuniões chatas, seguidas de um almoço de trabalho chato;

15h00-15h30 - Telefonar a um tipo bem colocado a perguntar se é mesmo preciso substituir o Rui Pedro Soares por outro boy.

15h30-19h30 - Reuniões chatas;

19h30-21h30 - Ver cotações e essas coisas.

Grande chefe do BES, Ricardo Salgado

07h30 - Ler os jornais;

08h30 - Começar a dar ordens de compra na Bolsa;

09h00-21h00 - Reuniões chatas sobre crédito, finança, investimentos e essas coisas. Inclui um almoço com um tipo importante no gabinete;

21h00 - Dar mais sugestões e consultar o livro dos fiados, a ver quanto já lhe devem certas empresas;

21h30-22h30 - Fazer o Governo perceber que os ministros é que têm de decidir e não ele, apesar do que vinha na revista do Expresso;

22h30 - Ir para casa.

Grande chefe de Belém, Cavaco Silva

09h00 - Ver o hastear da bandeira

09h02 - Ler os jornais;

09h08 - Acabar de ler o livro de Thomas Mann (ou será de Thomas Moro????);

10h00-13h00 - Pensar sobre o que fazer à lei do casamento gay;

13h00-15h00 - Almoço com embaixadores chatos;

15h01-15h02 - Dizer boa-tarde a Fernando Lima;

15h03-20h30 - Assinar coisas chatas;

20h31 - Ver o arriar da bandeira e ir para casa.

Grande chefe de São Bento, José Sócrates

08h30 - Atender o telefone (ainda não sob escuta) e ouvir as instruções que Teixeira dos Santos lhe dá;

08h30-09h00 - Encaixar duas inaugurações no tempo livre deixado por Teixeira dos Santos;

09h01-10h00 - Ler jornais, berrar com assessores e expulsar a revolta interior e incompreensão que sente;

10h00-13h30 - Fazer, contrariado, o que Teixeira dos Santos mandou. Ir a uma inauguração:

13h30-15h00 - Almoço com um tipo chato que só fala do CDS (credit default swaps);

15h01-19h00 - Fazer mais coisas que o Teixeira dos Santos disse, assinar papéis chatos e fazer outra inauguração, se der tempo;

19h00-21h00 - Explicar ao próprio que é má altura para nomear Manuel Pinho presidente de uma empresa do Estado, nomeadamente da CGD;

21h00 - Ir para casa, telefonar aos amigos (ooops, esta parece que tem de ser riscada).

E aqui têm as agendas carregadas dos quatro grandes chefes. Há quem os inveje? Há! Não sei porquê, mas há!

Comendador Marques de Correia

Texto publicado na edição da Única de 1 de Maio de 2010