Siga-nos

Perfil

Expresso

São os millions, baby

Não, não é verdade, o livro dos lugares-comuns está desatualizado: a bola já não é redonda, o futebol deixou de ser onze contra onze e é mesmo possível fazer prognósticos antes do fim deste jogo. Propõem-se cartéis de clubes, vendem-se equipas a oligarcas, foge-se a impostos, denuncia-se corrupção — e há estruturas de poder no futebol mundial para promover negócios em vez de jogos, para ganhar dinheiro em vez de desportivismo, para criar um muro a proteger os mais fortes e um fosso a separar os mais fracos. O futebol português anda em suspeitas criminais até aos joelhos, mas está do lado dos fracos. Por vontade dessas estruturas, os nossos clubes contam para um campeonato que não conta.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. pode usar a app do Expresso - iOS e android - para descarregar as edições para leitura offline)