Siga-nos

Perfil

Expresso

Luis Pedro Nunes

Os ricos de 2009 já podem festejar

E o mensageiro chegou de Bruxelas com a boa nova! Milhões e milhões para animar a economia! In extremis! Logo agora que até estava quase decidido a poupar uns cobres, e sentia-me possuído pelo "espírito do Natal da menina dos fósforos". Fui resgatado pelo nosso primeiro-ministro ao anunciar que o dinheiro é verdadeiro, existe e é para se gastar. Há - apoiado, apoiado - é que saber gastá-lo com estilo. Chega de mentalidade miserabilista que se apoderou de nós nas últimas duas ou três semanas, mais ou menos.

Já chega de crónicas a clamar que podemos fazer uma Consoada feliz com cantigas de escuteiros e filhoses com raspas de abóbora.

Mas é preciso dar aqui uma nota moralista, com um violino a tocar ao fundo. Há um padrão a alterar. Quando Oliveira e Costa reapareceu, o "Jornal de Negócios" traçou-lhe um esclarecedor perfil: "O banqueiro que come sopa ao pequeno-almoço". Nos anos 90, o apetite por "sopas de cavalo cansado" ao "brunch" dava um significado de solidez institucional. Junte-se o bunker "últimos-dias-de-Saddam" e percebe-se que Oliveira e Costa aguardava placidamente o seu destino de clausura espartana sem liquidez e sem direito a caução.

Onde estavam os milhões para esbanjar, afinal?

Já quando se lê sobre outro dirigente do BPN-Porto, Óscar Silva (cito "CM" 4/12/08), aí sim, já é o típico azeiteiro lúbrico: jacto privado do banco para ir ver umas corridas de carros a Inglaterra, com - atenção! - paragem num país de Leste "para recolher prostitutas". Uma ida à "fonte". Merecia a Nação um pouco mais de estilo e sofisticação...

Há, pois, que saber gastar, diz o nosso Sócrates. E com os milhões virão agregadas derrapagens orçamentais, desvios e as respectivas burlas agravadas. Dou assim umas dicas de Natal para quem já pressinta que irá pôr a mão no bagulho. Ideias verídicas retiradas dos conselhos de Natal da "Robb Report".

Onde comer? Para variar das jantaradas de Leitão da Mealhada com construtores civis "amigos", recomenda-se uma viagem de duas semanas para 6 pessoas aos 9 restaurantes do Chef Daniel Boulud em Nova Iorque, Las Vegas, Palm Beach, Vancouver e Pequim. Deslocações em jacto privado e acomodações incluídas. Preço: 850 mil euros. http://www.dinexgroup.com/

O que ler? Para quem queira impressionar o Marcelo: uma biblioteca com um design idêntico à da casa Vanderbilt com dez mil volumes de cópias raras de todos os géneros. Preço: 5,4 milhões euros. http://www.privatelibraries.com

Onde jogar golfe? Ah, já se sabe que poderá ter de jogar golfe com Dias Loureiro para fechar um negócio. Aconselha-se um jogo a três com a lenda do golfe Greg Norman em Cornerstone, Colorado, jantar com o dito e mais uns tacos personalizados. Preço: mais de meio milhão de euros. http://www.cornerstonecolorado.com

O que beber? Deixará todos de boca aberta quando mandar vir espumante no Elefante Branco ou Calor da Noite: uma ida de jacto para dois casais e estada no Château de Saran da Don Pérignon de Saran com prova dos mais raros champanhes na Abadia de Hautvillers. Oferta a cada casal de uma dezena de garrafas top vintage da Don Pérignon. Preço: 2,3 milhões euros. http://www.lvmh.com

Como fazer o bem? Já agora saque da cartada ecologista quando tiver à porta protestos contra derrube de sobreiros em zona protegida. Seja responsável por salvar uma espécie (grande) da extinção, neste caso o rinoceronte branco, tornando-se "praticamente" no único benfeitor de um programa de 15 anos que inclui viagens de helicóptero e encontro com painéis de especialistas e estadias na reserva da De Beers. Preço: 1,5 milhões de euros. http://www.springbanc.com

O que vestir? Veja o caso de Sócrates. A elegância não é um detalhe. Deixe que lhe elabore um guarda-roupa personalizado da Bergdorf Goodman, para uma semana, em fatos, casaco, smoking, sapato e acessórios, com visita à loja de Manhattan e ida a Itália acompanhado do director de moda da BG para escolha de materiais e tecidos. Preço: começa nos 380 mil euros. http://www.bergdorfgoodman.com

Boas obras públicas, boas derrapagens, Feliz Natal e um 2009 muito próspero!

Robb Report

O velho Robb começou por escrever uma newsletter para a Rolls Royce e 32 anos depois dá nome à revista mais exclusiva do mundo. É uma maravilha. Cada número mostra o que há de melhor em jóias, arte, propriedades, vinhos, carros, motas e relógios, no equivalente ao PIB de um pequeno país. Poderá tornar-se no símbolo da extravagância que está a terminar, mesmo com o toque filantrópico de querer pôr milionários a oferecer rinocerontes extintos a África. www.robbreport.com