Siga-nos

Perfil

Expresso

Pedro Lima Editor-adjunto

Se o arrependimento matasse...

1 de Outubro de 2018

Bom dia,

Foi no final de junho do ano passado que Portugal ficou atónito ao saber que tinha desaparecido material de guerra dos Paióis Nacionais de Tancos, em Vila Nova da Barquinha. Um comunicado do Exército no dia 28 desse mês dava conta da situação e desde então a história evoluiu para um grau de surrealismo que ninguém podia imaginar.

Eis-nos assim chegados a isto: militares da Polícia Judiciária Militar (PJM) a tentar convencer-nos de que a operação de encobrimento montada em torno da recuperação das armas foi feita em nome do interesse nacional. A história está tão mal contada que se impõe que seja rapidamente esclarecida mas, acima de tudo, que sejam tiradas consequências. É que já lá vão 15 meses...

Depois da prisão preventiva do diretor da PJM, Luís Vieira, e do suspeito do assalto, aguarda-se que Vasco Brazão, o major que coordenava a investigação do caso na PJM, regresse a Portugal para contar o que se passou. Só chegará ao país na quarta-feira, pois está na República Centro Africana, mas já fez comentários públicos sobre o assunto: na sua conta do Facebook fez saber que está arrependido do encobrimento montado pela PJM e pela GNR de Loulé. “Arrependido, mas de consciência tranquila”

No final, que lições poderemos vir a tirar deste caso? E as responsabilidades, serão todas identificadas e daí retiradas as devidas consequências? Ontem Luís Marques Mendes, ex-líder do PSD e comentador político na SIC, dizia que o diretor da PJM já devia estar demitido e defendeu uma auditoria à entidade, assim como que o ministro da Defesa e o Chefe de Estado-Maior do Exército deviam esclarecer rapidamente o assunto.

OUTRAS NOTÍCIAS

Já há acordo entre o Governo e a ANA em torno do novo aeroporto do Montijo. Quem o diz é também Marques Mendes. O primeiro-ministro já tinha dito durante a semana que o novo aeroporto estava em vias de se tornar irreversível. O acordo, que deverá estar assinado entre duas a três semanas, pressupõe um investimento de 1000 milhões de euros no novo aeroporto e também no atual, sendo que o Estado não contribuirá com nada. E como é que isso será conseguido? Com o prolongamento do contrato de concessão à gestora dos aeroportos nacionais, que assim fica também com o Montijo. Se assim for, parece simples…

É uma segunda-feira marcada pela contestação, com duas greves: temos hoje os comboios com perturbações devido à paralisação dos trabalhadores das bilheteiras e revisores da CP (ontem até às 22h tinham sido suprimidos 110 comboios); e os professores iniciam uma semana de greves por diferentes regiões que culminará, na sexta-feira, com uma manifestação nacional. O tema da contagem do tempo de serviço ameaça mesmo tornar-se uma pedra no sapato para o Governo, pois o Bloco de Esquerda garante que só aprova o Orçamento se houver dinheiro para reverter o congelamento da carreira dos professores e que o prazo que conta são mesmo os nove anos, quatro meses e dois dias… Transportes públicos e professores são dois temas que têm dado dores de cabeça ao país. Estaremos arrependidos com o desleixo que nos levou a ter os comboios no mau estado em que estão e com a forma como os professores têm sido tratados?

Na ‘novela’ de Serralves, há um colecionador que quer retirar centenas de obras do museu em solidariedade com o ex-diretor na sequência do alegado caso de censura.

Na frente desportiva, o destaque vai para a vitória do Braga sobre o Belenenses e a ascensão à liderança isolada da Primeira Liga de Futebol – o que não acontecia desde 2012. Talvez seja altura de começar a falar de “quatro grandes”, juntando os minhotos ao Benfica, Porto e Sporting no espaço mediático.

A partir de hoje é possível comparar as comissões cobradas nas contas bancárias. O comparador foi criado pelo Banco de Portugal e estará disponível no seu site.

O tempo está a passar e um acordo entre a Grã-Bretanha e a União Europeia (UE) parece cada vez mais difícil. A data prevista para o Brexit é 29 de março mas quer no Partido Conservador quer no Partido Trabalhista reina a confusão em torno do tema – e a hipótese de um novo referendo sobre a saída ou permanência do país continua a rondar. Será que os arrependidos que votaram a favor do Brexit são agora suficientes para alterar a relação de forças? Os conservadores começaram ontem o seu congresso em Birmingham e a primeira-ministra Theresa May está a tentar fazer aprovar a sua proposta de acordo com a UE, mas conta com a forte oposição do ex-ministro Boris Johnson. Têm até quarta-feira para se entender, mas entretanto vão saindo mais contas sobre o impacto do Brexit no país: o processo custa cerca de 560 milhões de euros por semana, segundo um estudo do Centro para a Reforma Europeia.

A uma semana das eleições presidenciais brasileiras, as manifestações a favor e contra o candidato de extrema-direita Jair Bolsonaro sucedem-se. As últimas sondagens apontam para um empate técnico entre Bolsonaro e Fernando Haddad (do Partido dos Trabalhadores). E sucedem-se também os apelos à população brasileira para que não cometa uma loucura votando Bolsonaro. Que é para depois não se arrependerem

Em Itália a confusa situação política, que tem provocado fortes receios com reflexo na descida das bolsas e na subida dos juros, manifestou-se desta vez com a notícia da demissão do ministro das Finanças do país, Giovanni Tria. O ministro negou que tenha ameaçado demitir-se após a aprovação do Orçamento, mas em tratando-se de Itália, nos dias que correm, nunca se sabe. Mas ainda será cedo para perceber se os italianos se arrependeram da forma como votaram nas últimas eleições.

A Tesla, que durante muito tempo foi notícia pelo impacto positivo que a sua estratégia teve na oferta de veículos automóveis elétricos, anda agora nas bocas do mundo por causa dos excessos do seu presidente. Na quinta-feira a SEC, regulador do mercado de capitais norte-americano, anunciou que vai processar o presidente da empresa, Elon Musk. Agora sabe-se que Musk irá deixar o cargo de presidente do conselho de administração e pagar 40 milhões de dólares (em conjunto com a empresa). Mas vai continuar como presidente executivo. Até quando? – é a questão que fica por responder. E estará Musk arrependido das recentes intervenções?

PRIMEIRAS PÁGINAS

Este foi o setembro mais quente desde que há registos em Portugal – Público

Procuradores e juízes jubilados ganham mais do que a trabalhar – JN

Nova tabela salarial na Função Pública – Correio da Manhã

As guerras de Marcelo com Cavaco – I

Comparador de comissões da banca arranca hoje – Jornal de Negócios

Sigam o líder – A Bola

Nani põe pedra no assunto – Record

Sós – O Jogo

O QUE EU ANDO A LER

“As 10 questões do interlúdio” – a economia portuguesa na era António Costa, livro lançado recentemente por João César das Neves. O economista prossegue na missão de tentar responder à pergunta básica de “para onde vai Portugal no mundo que nasceu na turbulenta noite de 14 de setembro de 2008, quando se relevou impossível salvar o Lehman Brothers, o quarto maior banco de investimento dos Estados Unidos?”. E para lhe responder coloca outras questões como “a economia está a crescer bem?”; “há mesmo um sucesso no défice?”; ou “que se passa com os direitos dos trabalhadores?”.

O QUE EU ANDO A OUVIR

“Panoramix” dos Madrepaz, é um disco de 2017 desta banda portuguesa de pop “xamânico” que descobri recentemente. Há um novo disco com lançamento previsto para o final do mês, e há algumas canções novas a ‘circular’ – Bonanza e Luz de Candeia.

Tenha um excelente dia, continue a acompanhar o que mais interessa no mundo, quer em expresso.impresa.pt quer no Expresso Diário.

Partilhe esta edição