Siga-nos

Perfil

Expresso

Martim Silva Diretor-Executivo

Guia rápido para saber o que se passa: Tiger, Mapplethorpe, Infarmed, Kavanaugh

24 de Setembro de 2018

JOSÉ COELHO

Ele há alturas assim.
O primeiro fim de semana de outono trouxe-nos tanto ou mais calor que o mais quente dos dias de verão.

Um fim de semana em que parece nada ter acontecido de transcendente mas em que se multiplicaram os casos quentes e as polémicas. Da exposicão Mapplethorpe e demissão do diretor de Serralves à indignação pela decisão judicial num caso em que dois homens tiveram relações sexuais com uma jovem inconsciente, passando pelo recuo do Governo na transferência do Infarmed para o Porto.

Hoje é segunda feira, 24 de setembro, os termómetros vão rondar os 40 graus apesar de já ser o segundo dia de outono não arrume já os calções de praia.

Vamos lá explicar o que se passa.

Nos últimos dias, ainda não parámos de escrever sobre o assunto Mapplethorpe (a foto aqui em cima é do José Coelho, da Lusa). Isto a propósito de uma exposição retrospectiva do fotógrafo que deixou uma obra rodeada de escândalo beleza e ansiedade moral.

Há duas semanas na Revista do Expresso escrevemos longamente sobre o fotógrafo falecido em 1989, com SIDA, e sobre a exposição. Premonitoriamente, o Celso Martins afirmava então:

"Em 1989, a direção da Corcoran Gallery em Washington decidiu cancelar a exposição de um fotógrafo com medo que a obscenidade das suas imagens afugentasse os mecenas do museu. O incidente deu origem a um dos mais intensos debates públicos sobre a relação entre liberdade artística e de expressão e as condições de financiamento das instituições museológicas. Esse fotógrafo chamava-se Robert Mapplethorpe e estava morto havia três meses ceifado pela sida, uma implacável epidemia então quase totalmente identificada com o sexo homossexual."

Agora, em cima da abertura da exposição em Serralves, o diretor artístico do museu e curador da exposição demitia-se. Aqui, logo na sexta, se procurava explicar a demissão de João Ribas.

Se quisermos contar em poucas linhas a polémica, trata-se de uma exposição de centena e meia de imagens do polémico fotógrafo norte-americano falecido há quase trinta anos. Algumas das imagens estão expostas em salas com acesso restrito a maiores de 18 (e está por explicar a não utilização de duas dezenas de fotos compradas). O diretor e curador da exposição não concordou com esta decisão e demitiu-se. A saída gerou um enorme coro de protesto e reacções.

Mas como vale a pena ler mais sobre o tema que apenas estas linhas, aqui lhe deixo alguns dos textos destes dias.

O diretor do Expresso, Pedro Santos Guerreiro, decidiu escrever sobre o assunto, num texto com bolinha vermelha no canto superior direito. AQUI. "Ou se expõe Mapplethorpe ou não se expõe Mapplethorpe", afirma ele. A fotografia é uma arte, é um texto de Valdemar Cruz.

Já este domingo, a primeira reação a sério de Serralves, que veio não pela presidente mas pela administradora Isabel Pires de Lima, antiga ministra da Cultura, que bateu forte e feio na atuação do diretor que se demitiu. Antes, tinha sido a própria Fundação Mapplethorpe a vir criticar a demissão de João Ribas. Este, por sua vez, ainda não veio a público defende-se ou explicar-se.
Aqui pode ler a reação de António Filipe Pimentel, o responsável pelo Museu Nacional de Arte Antiga. E aqui , ouvindo especialistas, reflete-se sobre a fronteira entre arte e pornografia e sobre a mediação que um museu deve ter com o público

Entretanto, o caso pôs a nu algumas divergências e descontentamentos na instituição. Há quem se queixe de autoritatismo por parte da direção de Ana Pinho. E esta já foi alvo de uma pequena manifestação frente à instituição.

Não quero aqui fazer qualquer relação causa-efeito, mas a exposição esteve a abarrotar durante o primeiro fim de semana


SEDUÇÃO MÚTUA
O caso da “sedução mútua”. O acórdão judicial e recentes desenvolvimentos à volta de um caso de uma jovem inconsciente que foi violada por dois funcionários de uma discoteca, e que sairam em liberdade, tem dado muito que falar. Aqui pode ler o que escreve no DN Fernanda Câncio sobre o assunto.

Aqui noticiámos como o Conselho Superior da Magistratura decidiu não investigar o polémicdo acórdão de dois juízes do Porto.


INFARMED
Depois de um anúncio cheio de pompa, eis o que se chama recuo estratégico. O Governo anunciou que afinal o Infarmed já não é para deslocalizar para o Porto. A coisa, que sempre pareceu periclitante, agora fica mesmo suspensa. Os apoiantes de Rui Moreira já vieram questionar a mudança de posição. E aqui no Expresso, o Pedro Santos Guerreiro não foi meigo para o Executivo, afirmando "Lisboa 1 Porto 0. Centralismo 1 Descentralização sempre zero".

OUTRAS NOTÍCIAS
Cá dentro,

Apesar de já estarmos no outono, o calor continua a fazer estrago e este domingo deflagrou um incêndio no Parque Nacional Peneda Gerês.

Já vamos no sexto dia de protesto dos taxistas e agora estes recebem em Lisboa “reforços” de colegas de outras partes do país. Para esta tarde, está prevista uma concentração junto à residência oficial do primeiro-ministro.

Em Nova Iorque, Marcelo Rebelo de Sousa e António Guterresestiveram juntos, antes do arranque da 73ª Assembleia Geral das Nações Unidas.

Miguel Albuquerque apelou ao Governo que ajude na resolução do problema dos emigrantes portugueses que se encontram detidos na Venezuela. Santos Silva, que está nas Nações Unidas, já veio denunciar a "ofensiva" do regime de Maduro contra a comunidade portuguesa na Venezuela, em particular a que se dedica ao ramo do retalho.

Ainda sobre a substituição da PGR, uma das primeiras movimentações foi o reaparecimento público de José Sócrates, que este fim de semana afirmou que a única agenda da direita era a manutenção de Joana Marques Vidal. E o PSD de Serpa decidiu dar crédito à foto idiota que tem corrido nas redes sociais, alegando que a nova PGR tinha sido uma das convidadas por José Sócrates para jantar quando o ex-primeiro-ministro deixou de estar em prisão preventiva.
Marques Mendes considera que este processo "está cheio de fantochadas".

Em cima da mesa está a discussão da nova Lei de Bases da Saúde. O Bloco de Esquerda desafiou os socialistas a escolherem o caminho, se mais à direita se mais à esquerda.

O Público deste domingo apresenta, a propósito do novo partido Aliança, um dossier sobre os partidos liberais, o seu significado, importância e papel no nosso sistema.

Numa daquelas iniciativas que bem podem acabar por beneficiar quem se quer atacar, o polémico André Ventura anunciou o arranque de um movimento para destituir Rui Rio de presidente do PSD.

No fim de semana, noticiámos no Expresso a mais importante descoberta arqueológica em Portugal nos últimos dez anos, uma nau dos Descobrimentos, encontrada junto ao Bugio, na foz do Tejo. O tema já galgou fronteiras e até a CNN falou do assunto.

A lei que proibe o abate de animais saudáveis em canis entrou em vigor este fim de semana. O diploma tem gerado alguma divisão.

Outra lei nova que merece críticas é a nova legislação sobre o Ensino Especial. Professores dizem que a mudança não pode ser feita de um dia para o outro.

O antigo presidente da TAP Fernando Pinto é arguido num processo judicial que investiga um negócio da companhia, considerado ruinoso, no Brasil.

Dez anos depois da falência do Lehman Brothers e da derrocada financeira internacional, quem foi afinal responsabilizado? Quem foi parar à prisão? Este é mais um dos trabalhos que o Expresso tem feito nos últimos meses sobre o assunto e que podem ser consultados na nossa página online.

Lá fora,
Este vai seguramente ser um dos casos da semana no noticiário internacional. Nos EUA, o novo juiz do Supremo designado por Trump enfrenta um delicadíssimo processo de confirmação, sobretudo depois de conhecidas as acusações de Christine Blasey Ford, que denunciou um caso de abuso sexual já com décadas. Ford vai prestar testemunho esta quinta-feira no Senado.

Mas o caso conheceu este domingo novos e picantes desenvolvimentos. É que apareceu nova denúncia quanto ao comportamento sexual de Brett Kavanaugh. Deborah Ramirez, sua colega no primeiro ano da Universidade de Yale, é a autora das denuncias. Aqui pode ler o relato detalhado da New Yorker.


A promover o seu movimento de direita na Europa anda Steve Bannon, o antigo conselheiro de Trump, que falou ao Politico sobre o que se passa em Itália.

Para amanhã está prevista a intervenção do presidente Donald Trump na Assembleia Geral das Nações Unidas.

No Brasil, é já a 7 de outubro que cerca de 150 milhões de cidadãos vão decidir quem será o próximo presidente da República. As perspetivas não se pode dizer que estejam particularmente luminosas. Na frente dos estudos de opinião estão Bolsonaro, o radical de extrema-direita que se encontra a convalescer de um atentado, e Haddad, o candidato do PT que é uma espécie de testa de ferro de Lula, que não se apresenta por estar preso por corrupção. Ciro Gomes aparece em terceiro.

No Reino Unido, a situaçao de Theresa May parece cada vez mais delicada e já se fala em antecipação das eleições gerais. O Brexit é um terramoto que continua a provocar muitas ondas de choque. E ainda nem se concretizou…

Agora é Jeremy Corbin, o líder trabalhista, que em entrevista ao Guardian veio dizer que pode votar contra o plano que Theresa May conseguir aprovar com a União Europeia. E que está disposto à realização de um novo referendo sobre a saída da UE.

Aos 76 anos, Paul Simon deu o último concerto da última digressão da sua carreira. Foi em Nova Iorque e a Blitz escreveu sobre esse momento.

E agora, para algo completamente diferente… Um museu em Londres apresenta uma curiosa exposição, única mesmo, em que se podem ver órgãos humanos com doenças ou curiosidades médicas. Por exemplo, um esófago de um engolidor circense de facas…

DESPORTO

Ele é provavelmente o melhor golfista de todos os tempos e um dos grandes desportistas da nossa era. Há cinco anos que não ganhava um torneio. E pelo meio este envolvido em situações, digamos assim, complexas. Agora, Tiger Woods voltou às vitórias.

Em Itália, Cristiano Ronaldo começa a revelar pontaria afinada e depois de dois golos na última jornada, este domingo abriu o marcador para nova vitória fora da Juventus. Já s\ao três tentos e a liderança da tabela dos marcadores.

Vem aí a cerimónia do Best para a FIFA, em que Ronaldo concorre contra Modric e Salah. Aparentemente, Ronaldo não estará presente hoje em Londres. Sinal de algo?

O Real Madrid prepara-se para ter um novo estádio. Apesar de se tratar de uma requalificação do Santiago Bernabeu, intervenção é tão profunda que quase justifica que se fale num novo estádio. São 500 milhões…

Sérgio Leitão, piloto português de motociclismo, morreu este domingo durante uma prova do campeonato nacional de velocidade que decorria no Autódromo do Estoril.

Não teve chamada de primeira página no jornal de sábado, mas nem por isso a entrevista de Alan ao Expresso deixa de merecer destaque. Hoje o seu Braga recebe o Sporting num jogo do campeonato, mas as declarações do craque sobre as suspeitas à volta do Benfica já provocaram polémica.

Ontem foi a vez do Benfica receber e ganhar ao Aves por dois a zero, com o jovem João Félix a ser o destaque de uma noite em que Jonas voltou a pisar o relvado da Luz.

FRASES
"Não temos margem para subir nem para descer impostos", Teodora Cardoso, Presidente do Conselho de Finanças Públicas, no Jornal de Negócios

"Existe uma percepção negativa sobre os banqueiros", Nuno Amado, do BCP, ao Público

"João Ribas foi desleal com a administração de Serralves", Isabel Pires de Lima, administradora da instituição, a propósito da saída do diretor artístico



O QUE ANDO A LER
Estas semanas de setembro têm sido dedicadas a páginas de não ficção. É o meu “regresso às aulas” sem verdadeiramente regressar às aulas mas numa busca permanente de aprender mais e mais.

"21 Lições Para o Século XXI", a nova obra do aclamado historiador israelita Yuval Noah Harari, depois de Sapiens e Homo Deus. Fascinante, como os livros anteriores, 21 Lições trata de temas como o desafio tecnológico, o Big Data, a revolução nas tecnologias da informação e na biotecnologia. Mas também trata, por exemplo, de religião. Imperdível. Por cá a obra foi lançada pela Elsinore.

Outra leitura, fascinante, e ainda mais arrepiante, é "Fear - Trump in the White House", do não menos aclamado jornalista norte-americano Bob Woodward (sim, o do Watergate), sobre os primeiros dois anos de Donald Trump na Casa Branca. Já aqui no Expresso falámos do livro e da polémica que tem gerado. O livro tem edição portuguesa prevista para novembro.

Deixem-me contar só o episódio que se passa nas primeiras páginas do livro: Trump tem um assessor económico que foi CEO da Goldman Sachs. O senhor, Gary Cohn, tem acesso privilegiado à Sala Oval da Casa Branca. Certo dia, entrou lá sem que o Presidente estivesse presente. Na "executive desk" de Trump deu conta de um papel que lá estava para o Presidente assinar. Tratava-se da revogação de um acordo comercial dos EUA com a Coreia do Sul. Acordo que sai muito caro aos norte-americanos, mas que permite por outro lado uma presença militar muito importante no país - essencial para o controlo da região e de vizinhos como a Coreia do Norte e a China. Ora, a dada altura Trump meteu na cabeça que o acordo era para ir para o lixo e contra o conselho de vários dos mais próximos, quis revogá-lo. O papel nunca chegou no entanto a ser assinado, por Cohn, em conluio com outro colaborador de Trump, decidir escondê-lo.

Woodward refere-se a este episódio e ao que se passa na Casa Branca como um verdadeiro "golpe constitucional".

Depois de passar estas páginas, o leitor não vai conseguir parar. Woodward tornou-se planetário com o Watergate. Mas os seus livros das últimas décadas com relatos pormenorizados sobre o que se passa na Casa Branca, com sucessivos presidentes, são um testemunho jornalístico e histórico impressionante.

Fico por aqui. Tenha boas leituras.


Partilhe esta edição