Siga-nos

Perfil

Expresso

Vídeo

Mariana Mortágua: "Socialistas fizeram ataque desproporcional ao BE"

Em entrevista ao Expresso, Mariana Mortágua garante que o Bloco não se desvia do seu programa para ganhar lugares ou ministros num futuro governo socialista e deixa uma certeza: “Estamos muito longe da maioria absoluta do PS”.

Mariana Mortágua aponta o dedo ao PS e acusa “alguns socialistas” de terem organizado um “ataque desproporcional” ao Bloco fazendo um uso “puramente tático” de medidas que estavam efetivamente a ser negociadas, como a “taxa Robles”, diz em entrevista ao Expresso na convenção do BE. “Será essa a estratégia do PS e de alguma arrogância perante a perspetiva de ter maioria absoluta. Mas a deputada bloquista tem uma certeza: “Estamos muito longe da maioria absoluta do PS. E o país já viu o que são as maiorias absolutas do PS no passado e acho que deve rejeitá-las”.

Apesar de querer um diz chegar ao Governo, o Bloco de Esquerda não é o CDS. Não abdica da sua identidade para pertencer a um Executivo, e não existe para ter ministros ou para se autopromover. Mortágua não tem dúvidas em garantir que o Bloco será “sempre fiel” ao seu programa e estará disposto a negociar “com quer construir à esquerda”. Resta é saber se o PS está disposto a abraçar a esquerda, sugere a bloquista.

“Não fazemos acordos de lugares para pertencer a um Governo, por uma mera questão de geometria aritmética ou porque nos queremos auto-promover ou ter ministros. Isso é o que país está habituado a ver no CDS, não é o que país está habituado a ver no BE”, diz Mariana Mortágua.

Recusando a ideia de que que o partido será castigado nas urnas pelos próprios eleitores depois ter apoiado um Governo que cumpriu ativamente as metas do défice - ou pelos que veem numa maioria absoluta do PS uma solução melhor para o país -, a deputada do Bloco diz-se confiante na capacidade do partido de “reforçar a sua votação e a sua representação parlamentar”.