Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Supremo Tribunal volta a debater casamento gay nos EUA

Os juízes do Supremo Tribunal dos EUA vão continuar hoje a analisar os argumentos a favor e contra o casamento homossexual. Barack Obama diz não à discriminação.

O Supremo Tribunal dos Estados Unidos vai debater hoje pelo segundo dia o casamento homossexual, numa altura em que a opinião pública está cada vez mais favorável à alteração da lei.

As divisões verificam-se, no entanto, ao nível 50 estados, sendo que 30 colocam barreiras ao casamento gay e apenas nove reconhecem esse direito.

Os juízes já começaram a avaliar na terça-feira a constitucionalidade da lei que proíbe o casamento homossexual na Califórnia, depois de em 2008 um referendo ter anulado a decisão do Supremo Tribunal do estado de legalizar a união entre duas pessoas do mesmo sexo.

Hoje, os juízes deverão pronunciar-se ainda sobre a lei federal de defesa do casamento, assinada pelo ex-presidente Bill Clinton, que não autoriza que os casamentos gays autorizados em nove estados sejam reconhecidos a nível federal.

Manifestações multiplicam-se

A aprovação do casamento gay deverá ainda permitir benefícios ao nível da Segurança Social e em deduções fiscais.

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, garante apoiar o casamento homossexual, tal como já tinha revelado durante a campanha, sublinhando não haver espaço para discriminações com base na orientação sexual. 

Segundo uma sondagem recente do Instituto Pew, 49% dos americanos defendem o casamento gay, enquanto 44% mostram-se contra. Nestes últimos dias multiplicaram-se pelo país as manifestações a favor e contra o casamento homossexual, tendo surgido também mais debates na televisão sobre o assunto.