Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Príncipe William e Kate rompem tradição no batizado de George

A cerimónia na capela do palácio de Saint James, em Londres, contou apenas com 22 convidados. Dos sete padrinhos e madrinhas do príncipe de três meses, apenas uma pertence à família real.  

O príncipe George, com três meses e terceiro na sucessão ao trono de Inglaterra, foi hoje batizado com água do rio Jordão, numa cerimónia que os pais, William e Catherine, quiseram íntima, ao contrário das festas reais habituais.

Apenas 22 convidados, incluindo a bisavó rainha Isabel II, de 87 anos, assistiram à cerimónia, na capela do palácio de Saint James, em Londres.  

Além dos pais, irmãos e irmã de William e Catherine, a lista dos "escolhidos" incluiu ainda os sete padrinhos e madrinhas do jovem príncipe britânico, amigos de infância ou da universidade dos pais. Sinal de rutura com a tradição, Zara Tindall, prima de William, é a única madrinha pertencente à família real.

A cerimónia é privada, mas as câmaras dos 'media' estão, desde o início da manhã, instaladas junto às entradas do palácio, tal como perto de 50 jornalistas e centenas de curiosos.

A rainha foi acompanhada na cerimónia por três gerações de futuros monarcas: o filho mais velho Carlos, o neto William e o bisneto George.

De acordo com a tradição, o batismo é realizado pelo arcebispo de Cantuária Justin Welby, chefe espiritual dos anglicanos.

Para a ocasião, George usou um vestido de cetim branco e rendas, uma réplica do vestido usado, em 1841, pela filha mais velha da rainha Vitória.

À cerimónia religiosa segue-se uma receção em Clarence House, a residência em Londres do príncipe Carlos.

Na história contemporânea da família real, Isabel II e os príncipes Carlos e William foram batizados no palácio de Buckingham, a residência londrina da rainha.

Mas os pais de George preferiram a intimidade da capela real do palácio de Saint James, um local simbólico para William, já que foi ali realizado o velório da mãe, Diana, em 1997.

O príncipe George já não era visto em público desde o dia a seguir ao nascimento, a 22 de julho, ao colo da mãe à porta da maternidade e perante um "exército" de fotógrafos e televisões de todo o mundo.