Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Nelson Mandela continua hospitalizado

O ex-presidente sul-africano continua internado a recuperar de uma pneumonia, sendo a terceira vez que é hospitalizado nos últimos quatro meses.

Nelson Mandela passou a sua quarta noite hospitalizado, a recuperar de uma pneumonia, sem que os médicos tenham comunicado hoje qualquer novidade sobre o seu estado clínico.

"Não tenho nenhuma informação nova, os médicos não me telefonaram e são eles que entram em contacto comigo e não o contrário", disse à agência de notícias espanhola Efe, por telefone, o porta-voz da presidência sul-africana, Mac Maharaj.

Maharaj anunciou sábado que Nelson Mandela voltou a respirar "sem dificuldade", depois de ter sido tratado por causa de uma recaída provocada pela pneumonia.

"Os médicos anunciaram que, devido a uma infeção pulmonar, o ex-presidente Mandela tinha desenvolvido um derrame na pleura, que entretanto foi drenado", explicou a fonte, no seu último comunicado.

"Progressos constantes" na recuperação

Nessa informação, a presidência sul-africana refere pela primeira vez, desde a hospitalização de Mandela, na quarta-feira, que o internamento do ex-presidente estava relacionado com uma pneumonia, para além de agradecer as mensagens de apoio.

De acordo com Maharaj, no sábado, Mandela, de 94 anos, estava "animado" e fazia "progressos constantes" na sua recuperação.

Antes, o porta-voz presidencial tinha anunciado que Mandela estava "consciente", tanto no momento da sua hospitalização, como durante o internamento.

Esta é a terceira vez que Nelson Mandela é hospitalizado nos últimos quatro meses.

Problemas respiratórios antigos

Nelson Mandela, ou Madiba, como é carinhosamente apelidado, lutou durante 67 anos contra o sistema de segregação racial, conhecido como "apartheid", imposto pela maioria branca da África do Sul.

Sofre de problemas respiratórios, consequência dos 27 anos em que esteve preso, razão pela qual foi hospitalizado a 9 de março, quando foi submetido a exames médicos.

O prémio Nobel da Paz de 1993 foi operado em dezembro por causa de pedras na vesícula e foi tratado a complicações respiratórias. Nessa ocasião, acabou por ficar mais de duas semanas hospitalizado, o que provocou alguns rumores sobre a sua morte.

Nelson Mandela vive entre Joanesburgo e Qunu, a pequena vila rural onde nasceu, sob permanente vigilância médica.

A sua última aparição pública foi em 2010, por ocasião do Mundial de Futebol.