Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Famoso letreiro de Las Vegas mais ecológico

O icónico letreiro que dá as boas-vindas aos visitantes de Las Vegas, há mais de 50 anos, vai ser mais amigo do ambiente.

É um sinal dos tempos. O icónico letreiro com luzes neon, com quase oito metros de altura, que dá as boas-vindas a quem chega a Las Vegas, há mais de 50 anos, vai passar a ser alimentado a energia solar.

A mudança estava a ser pensada há mais de um ano e ontem o Governo do Nevada e grupos ambientalistas acordaram que os trabalhos avancem.

Agora, três painéis solares serão instalados e tratarão de fornecer a energia necessária para que o letreiro "Bem-vindos à fabulosa Las Vegas" continue a iluminar a entrada sul da 'cidade do pecado', como também é conhecida.

A conversão para energia solar não custará dinheiro aos contribuintes, sendo o projeto apoiado pela Associação Eletrónica de Consumo dos EUA, pela Energias do Nevada e pela Associação da História de Las Vegas.

A história de um letreiro

A ideia do letreiro coube a Ted Rogich, um antigo veterano da II Guerra Mundial. Recém-chegado ao Nevada, instalou-se em Las Vegas onde fundou uma pequena empresa de sinais luminosos, a Western Neon Co. Admirador confesso dos sinais a publicitar os casinos, reparou que não havia nenhum a publicitar a cidade.

Desenhado por Betty Willis a pedido de Rogich, o letreiro foi instalado em maio de 1959, depois de vendido ao condado local por quatro mil dólares (quase 32 mil dólares a preços de hoje), tornando-se a maior coqueluche da cidade que todos os anos recebe milhões de visitantes.

Para dar resposta às inúmeras romarias a um dos locais mais fotografados de Las Vegas, em 2012 as autoridades municipais decidiram ampliar o pequeno parque de estacionamento para carros e autocarros de turismo que inicialmente fora criado num terreno próximo do letreiro gigante.