Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Encontrada última vítima do 'Costa Concordia'. Dois anos e dez meses depois do naufrágio

Depois de reposto a flutuar, o 'Costa Concordia' foi rebocado até ao porto de Génova, onde agora se procede ao seu desmantelamento

GIUSEPPE CACACE/AFP/Getty Images

O corpo do único elemento da tipulação ainda desaparecido desde o naufrágio do cruzeiro italiano foi descoberto, durante a operação de desmantelamento do navio.

As autoridades italianas anunciaram esta segunda-feira que foi descoberto o corpo do último tripulante desaparecido desde o naufrágio do 'Costa Concórdia', ocorrido a 13 de janeiro de 2012. Os restos mortais de Russel Rebello, um funcionário indiano do cruzeiro, foram descobertos numa das cabines do convés do navio.

Russel Rebello era a única das 32 vítimas mortais ainda por recuperar. Um porta-voz da guarda-costeira italiana confirmou à agência Reuters que os restos mortais encontrados pertencem ao "garçon" que seguia no cruzeiro, que tombou para a sua direita depois de ter chocado contra as rochas nas proximidades do porto italiano de Isola del Giglio.

Após ter ficado ali encalhado durante mais de dois anos, a embarcação retomou em julho a sua posição normal e foi rebocada com sucesso para o porto de Génova, numa das mais complexas operações de resgate náutico da história. Com quase 300 metros de comprimento e mais de 35 metros de largura, o navio de cruzeiro comj uma lotação de 4890 pessoas pesava mais de 114 mil toneladas. A operação de desmantelamento está a cargo da empresa "Ship Reclycling", que prevê que os trabalhos estejam concluídos apenas em 2016.

O comandante do navio, Francesco Schettino, está a ser julgado por crime de homicídio, sendo acusado de ter causado o naufrágio e de ter abandonado o navio sem prestar auxilio às vítimas.