Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Empresas dos EUA queixam-se de roubo de dados na China

Cerca de 26% das empresas que fazem parte de um lobby norte-americano na China dizem já ter sido vítimas de roubo de dados sobre os proprietários ou segredos comerciais.

Um quarto das empresas norte-americanas que integram um influente grupo de negócios na China dizem ter sido vítimas de roubo de dados no país, segundo um relatório hoje divulgado.

Cerca de 26% das empresas revelaram que os dados sobre os proprietários ou segredos comerciais foram roubados pelas filiais na China, sendo que só 10% das companhias inquiridas admitiram poder recorrer a serviços de cloud computing no país, não temendo riscos ao nível da segurança. 

"Isso constitui um obstáculo substancial para os negócios na China, sobretudo quando for considerado em conjunto com as preocupaçõe ssobre os direitos da propriedade intelectual e as exigências para a transferência de tecnologia", refere a Câmara Americana de Comércio na China, citada pela Reuters.

Segundo o mesmo relatório, só em 2012 as empresas norte-americanas  perderam mais de 300 mil milhões de dólares devido ao roubo de segredos comerciais.

A maioria das empresas inquiridas mostrou ainda otimismo quanto às perspetivas de negócio na China, com fortes probabilidades de aumento dos lucros ainda este ano. No entanto, as companhias acreditam que o investimento poderá estagnar devido à conjuntura económica internacional.

Crescentes acusações de espionagem

As acusações de espionagem por parte da China são crescentes. Em fevereiro, a Mandiant, uma empresa norte-americana de segurança digital, disse que uma unidade militar secreta na China foi responsável por ataques cibernéticos a mais de 100 empresas dos Estados Unidos. 

Em agosto, o FBI lançou mesmo um alerta para a descoberta das crescentes ameaças de roubo de dados da China, que afetam não só as empresas norte-americanas, como a nível global. A administração de Barack Obama já prometeu endurecer as medidas contra estes hackers, que ameaçam a segurança económica dos EUA:

O relatório anual do Pentágono referia que "as redes de informática no mundo continuavam a ser alvo de intrusões e de roubos de dados, boa parte dos quais da China".

Já o Governo chinês continua a negar as acusações, sublinhando que todas elas são isentas de provas, e acusa o relatório hoje divulgado de constituir uma "ação completamente irresponsável."