Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Anulada absolvição de Amanda Knox

Um tribunal superior italiano decidiu que a jovem americana deverá voltar a sentar-se no banco dos réus.

O Supremo Tribunal italiano decidiu anular a decisão, de primeira instância, que considerou Amanda Knox inocente de um caso de homicídio. A jovem americana e o namorado voltarão agora a ser julgados, de acordo com a agência Reuters, mas adivinha-se um processo complicado porque ambos residem nos Estados Unidos e terão de ser extraditados para se submeterem a um novo julgamento.

"Não importa o que aconteça, a minha família e eu vamos continuar a enfrentar esta batalha legal como sempre fizemos, confiantes na verdade e de cabeça erguida diante de acusações injustas e irracional adversidade", declarou a jovem depois de saber o veredicto.

Amanda Knox e o namorado Raffaele Sollecito estiveram quatro anos detidos, acusados de terem morto uma estudante inglesa que vivia com a jovem americana em Itália. Em outubro de 2011, durante um julgamento de recurso, foram ilibados.

O casal de namorados é acusado de ter morto Meredith Kercher, 21 anos, a 2 de novembro de 2007, por esta se recusar a entrar em jogos sexuais. A jovem inglesa foi violada e esfaqueada, de acordo com a autópsia.

Segundo o julgamento de primeira instância, Amanda Knox e Raffaele Sollecito deram o golpe fatal que matou Kercher, enquanto Rudi Guede, um costa-marfinense que cumpre 16 anos de prisão num outro processo separado, lhe segurava os braços porque a britânica se recusava participar.