Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Acidente com um caça em Albacete faz 11ª vítima mortal

O balanço do acidente em Albacete é agora de 11 mortos e 20 feridos, quatro dos quais em estado muito grave

Stringer/Reuters

Militar francês não resistiu à gravidade das queimaduras sofridas na segunda-feira, após a queda de um F-16 grego que participava num treino tático da NATO

Expresso, com Lusa

Faleceu mais um dos militares internados desde esta segunda-feira em Madrid, devido ao acidente com um caça grego em Albacete, elevando para 11 as vítimas mortais do desastre, anunciou o Governo espanhol.



O militar francês, François Combourie, estava internado - com outros três franceses e um italiano - na unidade de queimados do Hospital de La Paz, em Madrid, para onde foram transferidos devido às graves queimaduras sofridas. Os restantes feridos deslocados para uma unidade hospitalar da capital continuam "estáveis, dentro de um quadro de gravidade", segundo refere em comunicado o Ministério da Defesa de Espanha.



O acidente aconteceu na tarde de segunda-feira na base aérea de Los Llanos, em Albacete, quando um F-16 tripulado por dois capitães gregos se despenhou sobre uma fileira de aviões estacionados, com os depósitos cheios de combustível, com mecânicos em volta. Alguns dos aparelhos estavam prontos para descolar. Felizmente, nenhum levava munições.



Por razões ainda desconhecidas, o F-16 perdeu potência ao descolar e caiu sobre uma zona com vários aparelhos que - à semelhança do avião grego - participavam no curso Tactical Leadership Programme (TLP) da NATO.



A morte de François Combourie eleva para onze o número de vítimas mortais, os dois pilotos gregos do F-16 e nove franceses.



Outros dois militares franceses estão internados num hospital de Albacete, em estado "grave" mas estável. Cinco feridos italianos estão no hospital de Hellín, à espera de receber alta. Os restantes feridos - inicialmente registaram-se 21 feridos - receberam já alta.



O impacto do caça grego (que está equipado com um depósito de um combustível - a hidracina - especialmente para a descolagem) afetou várias aeronaves: dois AMX italianos, dois Alfa-Jet franceses e um Mirage 2000 francês. O incêndio que se seguiu ao choque foi dominado apenas uma hora depois, precisou o Ministério da Defesa espanhol.



Além da Grécia, França e Itália também participavam no curso da NATO militares dos Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido e Espanha.



O incidente na base de Los Llanos é o pior dos últimos anos na NATO fora de zonas de conflito.