Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bombeiros encontram saco de guloseimas de Julen, o menino de dois anos que caiu num poço em Málaga

A 78 metros de profundidade, a câmara do robô usado nas buscas embateu contra um obstáculo de terra, sob o qual as equipas de resgate temem que a criança venha a ser encontrada. O facto de o poço ser muito estreito impede os bombeiros de o atravessarem. As paredes do poço não estão cobertas, pelo que podem ocorrer deslizamentos de terra

Os bombeiros espanhóis que procuram Julen, o menino de dois anos que este domingo caiu num poço na serra de Totalán, em Málaga, encontraram, com o auxílio de uma câmara, o saco de guloseimas que a criança trazia consigo no momento da queda. A informação foi avançada esta segunda-feira pelo jornal “El País”.

A 78 metros de profundidade, a câmara do robô usado nas buscas embateu contra um obstáculo de terra, possivelmente resultado de um deslizamento, sob o qual as equipas de resgate temem que a criança venha a ser encontrada, segundo avançaram fontes dos bombeiros à rádio Cadena SER.

Uma centena de efetivos dos serviços de emergência continuam a procurar Julen, que caiu num poço profundo, sem qualquer identificação nem proteção. A família do menor dirigia-se à propriedade de um familiar quando a criança correu para o poço sem que nenhum dos presentes pudesse fazer nada, segundo relatos da família. O menino que brincava com Julen não apresenta quaisquer ferimentos.

A família terá ouvido o choro da criança após a queda mas deixou de o ouvir pouco depois, ainda segundo os bombeiros, que desconhecem o estado em que a criança se encontra.

O facto de o poço ser muito estreito impede os serviços de resgate de o atravessarem. As paredes do poço não estão cobertas, pelo que podem ocorrer deslizamentos de terra.

A câmara do robô embateu contra uma superfície de areia molhada que forma uma espécie de tampão, que se revelou impossível de atravessar após várias tentativas. Foi nessa altura que a câmara detetou o saco de guloseimas.