Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump lança ataque ao FBI via Twitter reagindo à investigação sobre o dossiê Rússia

LEAH MILLIS/Reuters

A história publicada no sábado no “New York Times” enfureceu o Presidente, que retaliou no Twitter com uma versão pessoal dos eventos na qual se diz “vítima” de “fracassados desesperados”

Cristina Peres

Cristina Peres

Jornalista de Internacional

Donald Trump não gostou que tivesse vindo a público a investigação que o FBI levou a cabo em maio de 2017 sobre o seu possível envolvimento na interferência de Moscovo nas eleições que o elegeram em 2016.
O Presidente reagiu tweetando no sábado que os funcionários entretanto afastados do FBI [referindo o ex-chefe James B. Comey por si demitido] tinham “tentado comprometer o Presidente” ao investigarem se ele teria agido em nome da Rússia, lê-se na edição deste domingo do “New York Times” (NYT).

O jornal especifica que o ataque na sua conta de Twitter começou às 7h e durou duas horas. Durante esse tempo, “o Presidente urdiu uma história alternativa” segundo a qual ele teria sido “vítima de fracassados desesperados” do FBI ao seu mais alto nível, fazendo “uma série de falsas alegações” sobre os seus adversários e acontecimentos em torno do inquérito.

A história foi publicada pelo NYT no sábado na sequência de uma investigação jornalística junto da mais alta hierarquia e ex-funcionários do FBI. Reconhecendo a delicadeza da operação visando um Presidente em funções, a investigação do FBI tinha por objetivo apurar se Trump teria despedido o chefe do FBI, James B. Comey, para impedir o avanço do dossiê Rússia e, além disso, caso se provasse que Trump teria colaborado com Moscovo, se o teria feito deliberadamente ou se teria agido sob coação da Rússia.

Nos seus tweets de sábado Trump acusou sem provas “Hillary Clinton de ter mentido ao FBI. Alegou que Comey é corrupto e melhor amigo do conselheiro especial Robert S. Mueller III” a quem acusou de empregar uma equipa de democratas - outra asserção falsa - “empenhados em fazê-lo cair”, lê-se no NYT.

Horas depois da torrente vingativa na rede social, o Presidente aproveitou ter sido inquirido em direto no programa da Fox News de Jeanine Pirro sobre se teria alguma vez trabalhado para a Rússia para responder indiretamente ao NYT: “Acho que foi a coisa mais insultuosa que alguma vez me perguntaram”, disse ao telefone. “Acho que foi o artigo mais insultuoso que alguma vez vi escrito”.

Segundo o NYT, Trump negou ainda a reportagem publicada pelo “Washington Post” de acordo com a qual ele tentara esconder de outros altos responsáveis as suas conversas com Vladimir Putin ao longo dos últimos dois anos.

  • Inquérito do FBI. Trump esteve secretamente a trabalhar para a Rússia?

    Em maio de 2017 o FBI abriu um inquérito "com implicações explosivas" ao Presidente em exercício para apurar se ele constituía uma ameaça à segurança nacional. Foi na sequência do despedimento do chefe do FBI, James B. Comey. O "New York Times" adiantou a história e a Casa Branca negou-a, classificando-a como "absurda"