Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ainda não foi desta que Trump declarou emergência nacional. “Mas, se tiver de o fazer, vou fazê-lo”, garantiu

Sergio Flores/Bloomberg/Getty Images

Este passo permitiria ao Presidente dos EUA contornar o Congresso e conseguir o dinheiro necessário para pagar a construção de um muro na fronteira com o México. A ameaça foi feita no 20.º dia de ‘shutdown’, sem sinais de novas negociações para resolver o impasse. Esta sexta-feira, cerca de 800 mil funcionários não receberão os salários pela primeira vez

O Presidente dos EUA, Donald Trump, ameaçou esta quinta-feira usar os seus poderes para “declarar uma emergência nacional” e, contornando o Congresso, conseguir o dinheiro necessário para pagar a construção de um muro na fronteira com o México. A garantia foi dada no 20.º dia de ‘shutdown’, a paralisação parcial do Governo norte-americano, sem sinais de novas negociações para resolver o impasse.

“Podemos declarar uma emergência nacional. Não devíamos ter de o fazer. Isto é apenas senso comum”, disse Trump na fronteira do Texas com o México.

O ‘shutdown’, que começou a 22 de dezembro do ano passado, será o mais longo da história dos Estados Unidos se continuar em vigor este sábado. Trump quer 5,7 mil milhões de dólares para a construção de uma barreira na fronteira, uma das suas mais emblemáticas promessas de campanha. No entanto, os democratas no Congresso opõem-se a isso e o impasse deixou um quarto do Governo federal paralisado e centenas de milhares de funcionários sem pagamento.

“A China é muito mais honrada do que o chorão do Chuck e a Nancy”

Um dia depois de ter abandonado uma reunião com líderes democratas, Trump atacou-os por se recusarem a aceitar o seu pedido, dizendo que é mais difícil lidar com eles do que com a China. “Em muitos aspetos, francamente, a China é muito mais honrada do que o chorão do Chuck e a Nancy”, acusou, referindo-se ao líder democrata no Senado, Chuck Schumer, e à presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi.

Na quinta-feira, Trump cancelou a sua participação no Fórum Económico Mundial, em Davos, que decorre entre 22 e 25 de janeiro, sinalizando estar preparado para que o ‘shutdown’ se arraste.

“Tenho o direito absoluto de declarar uma emergência nacional. Não estou ainda preparado para o fazer mas, se tiver de o fazer, vou fazê-lo”, disse. Segundo Trump, imigrantes indocumentados e drogas ilegais constituem uma ameaça à segurança na fronteira, apesar de as estatísticas mostrarem uma redução substancial na travessia de ambos.

A pressão sobre o Presidente e os democratas deverá subir de tom esta sexta-feira, quando cerca de 800 mil funcionários federais não receberem os seus salários pela primeira vez. Metade destes são considerados “essenciais” para a segurança nacional, como os guardas prisionais e os agentes de segurança nos aeroportos, e precisam de continuar a trabalhar. Os outros encontram-se em casa.