Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia italiana que salvou seis pessoas com o seu cão em Génova é uma das “pessoas do ano” para o “The Guardian”

PIERO CRUCIATTI/Getty

Em agosto deste ano, 43 pessoas morreram depois do colapso de grande parte do tabuleiro da Ponte Morandi, em Itália. Laura Bisio, a comissária da polícia local, estava a pensar levar um dos seus cães a treinar quando se deparou com um cenário que “o cérebro não conseguia compreender”

Laura Bisio, comissária da polícia do distrito de Génova, em Itália, estava naquela zona por acaso, a acompanhar uma brigada da polícia numa operação de apreensão de droga. Com ela tinha Corra, um border collie treinado para farejar todo o tipo de substâncias ilícitas, e ainda Espírito da Noite, outro border collie mas treinado para encontrar pessoas.

Quando a operação terminou, Bisio pensou em levar o seu cão de salvamento para treinar mas rapidamente o treino passou a urgência bem real. No carro de patrulha, Brisia começou a ouvir os pedidos de socorro chegarem às frequências da polícia. Tinha caído uma ponte ali mesmo, em Génova, a emblemática ponte Morandi. “Qquando falo disso tremo sempre”, conta a comissária ao diário “The Guardian”, que a elegeu e ao seu Espírito da Noite “Pessoa do Ano”.

As imagens mostravam uma estrutura de betão esventrada, quase 200 metros de ponte em falta e dezenas de carros esmagados pelos pedaços de ponte que caíram em cada uma das margens do rio. Bisio correu com o seu cão em direção aos destroços e ele começou imediatamente a ladrar furiosamente: “Primeiro encontrámos uma mulher ao lado de um homem, ela estava viva, ele não. O Espírito da Noite continuava a trabalhar, a correr até um ponto preciso, onde começava a ladrar para avisar que tinha encontrado alguém. (...) Pessoas gritavam e eu gritava de volta para garantir que estávamos a chegar. Identificámos uma mãe e uma filha e quando soube que tinham sido retiradas com vida desfiz-me a chorar”, conta Bisio.

A comissária também tinha estado em L’Aquila por altura do terramoto de 2009, aí com um outro cão-polícia, o Peter Pan, mas só encontraram corpos. “Desta vez, segundo as informações que nos deram, conseguimos salvar a vida a seis pessoas.”