Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Síria. Sete valas comuns descobertas em antigo feudo do Daesh

LOUAI BESHARA/GETTY

Autoridades sírias descobriram 101 cadáveres, a maioria dos quais terão sido alvo de tortura e de maus tratos antes da execução. Equipas continuam à procura de mais corpos

Sete valas comuns com mais de 100 corpos não identificados foram descobertas perto da cidade de Bukamal, antigo feudo do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh), no leste da Síria, indicou na terça-feira a agência oficial Sana. A agência síria acusa o Daesh de estar na origem do massacre.

"As equipas de defesa civil e o Crescente Vermelho sírio encontraram 101 corpos, a maioria dos quais foi alvo de tortura e de maus tratos antes da execução", precisou a Sana, indicando que continuam os trabalhos "para recuperar mais corpos" naquela cidade da província de Deir Ezzor.

Os esforços das equipas centram-se na "identificação dos corpos já encontrados, alguns dos quais são de mulheres", disse à agência France-Presse uma fonte do Crescente Vermelho sírio que não quis ser identificada.

"Os corpos têm marcas de tortura e alguns tinham sido vendados e algemados", indicou, adiantando não poder determinar a data das mortes.

Num vídeo divulgado pela Sana, um militar não identificado refere que "parece que a maior parte das pessoas foram executadas com tiros na cabeça".

Desde o início de 2018, o exército sírio descobriu várias valas comuns com dezenas de corpos na província de Raqa (norte), onde os jiadistas multiplicaram os abusos antes de serem expulsos.

A cidade de Bukamal, próxima da fronteira iraquiana, foi recuperada por Damasco em novembro de 2017. Foi o último centro urbano controlado pelo Daesh na Síria.

Desencadeada em 2011, a guerra na Síria causou mais de 360.000 mortos e obrigou milhões a abandonarem as suas casas.