Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Governo português recomenda evitar este sábado “deslocações não necessárias a Paris”

Confrontos em Paris

IAN LANGSDON/EPA

Por causa dos protestos esperadas na capital francesa, o Ministério dos Negócios Estrangeiros emitiu um comunicado onde aconselha a que se evitem, em particular, as zonas sinalizadas como as mais afetadas pelas manifestações, e se esteja atento à informação veiculada pelos canais oficiais

O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) recomenda que no dia 8 de dezembro se evitem “deslocações não necessárias a Paris”, em particular nas zonas sinalizadas como as potencialmente mais afetadas pelos protestos aguardados na capital francesa.

Num comunicado publicado no Portal das Comunidades Portuguesas é ainda aconselhado que se sigam as indicações das autoridades e “sobretudo” que se evitem “quaisquer concentrações de manifestantes”.

O MNE sublinha que “embora não se possa prever exatamente o que irá acontecer no próximo fim-de-semana”, as autoridades francesas têm a indicação de que ocorrerão novos protestos, “existindo forte possibilidade de confrontos”.

São referidas como zonas a evitar os “Campos Elísios/Arco do Triunfo, Bastilha, République, Opéra/Grands Magasins (onde se situam as Galerias Lafayette e outras), Assembleia Nacional (perto do Museu d’Orsay), Senado (Jardins do Luxemburgo) e Denfert-Rochereau”.

Quem tenha necessidade de se deslocar deve procurar manter-se informado “sobre a evolução da situação”, lê-se no comunicado, que recomenda o recurso às aplicações (Apps) dos transportes públicos, os canais de informação e ss redes sociais como o Twitter, “mas seguindo apenas as contas oficiais”, como as das forças de segurança de Paris

O MNE lembra que “vários monumentos e museus, incluindo os mais emblemáticos, estão encerrados e vários eventos desportivos, culturais e associativos têm sido cancelados ou adiados”.

Em relação ao restante território continental, é pedida atenção “a possíveis interrupções/bloqueios de trânsito nos eixos principais de ligação às grandes cidades”, antecipando-se “algumas dificuldades no reaprovisionamento de bombas de gasolina e de supermercados nas regiões de Marselha, Nice, Aix, Arles, Avignon”.

“O acesso ao aeroporto que serve a região da Provença pode ser novamente bloqueado”, acrescenta o comunicado.