Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Da Fox News para o Departamento de Estado e agora ONU? Heather Nauert pode ser a nova embaixadora

Alex Wroblewski/Getty Images

Se confirmada, Nauert sucede a Nikki Haley, que abandona o cargo no final do ano. Segundo a Reuters, Nauert ganhou experiência em diplomacia ao trabalhar no Departamento de Estado mas não possui as credenciais políticas de Haley, ex-governadora da Carolina do Sul. Donald Trump tem sido crítico da ONU, queixando-se do custo que representa para os EUA

O Presidente dos EUA, Donald Trump, deverá nomear a porta-voz do Departamento de Estado Heather Nauert como embaixadora do país nas Nações Unidas. A informação foi revelada esta quinta-feira à agência de notícias Reuters por duas fontes da Casa Branca sob a condição de anonimato, sendo que a decisão poderá ser anunciada já esta sexta-feira.

Nauert, cuja nomeação exige a confirmação do Senado, é uma antiga correspondente e pivô do canal de televisão Fox News. Se confirmada, sucede a Nikki Haley, que em outubro anunciou que abandonaria o cargo no final do ano.

Segundo a Reuters, Nauert, que chegou a ser considerada como uma possível sucessora da porta-voz da Casa Branca Sarah Sanders, ganhou experiência em diplomacia ao trabalhar no Departamento de Estado mas não possui as credenciais políticas de Haley, ex-governadora da Carolina do Sul.

Irão, Coreia do Norte, Síria e Iémen no caderno de encargos da senhora que se segue

Em caso de confirmação, Nauert terá de lidar com uma série de dossiês complexos, incluindo os esforços dos EUA para conter a influência do Irão no Médio Oriente e a garantia de que a ONU mantém as sanções sobre a Coreia do Norte, enquanto Washington tenta negociar o fim dos programas nucleares e de mísseis de Pyongyang.

Trump tem sido crítico das Nações Unidas, queixando-se do custo que representam para os EUA e criticando o foco na burocracia e no processo e não nos resultados. O Presidente retirou o país do Conselho das Nações Unidas para os Direitos Humanos, acusando o órgão de ter um preconceito contra Israel, e cortou o financiamento à agência da ONU para os refugiados.

No entanto, Trump também se serviu das Nações Unidas para fazer avançar a sua política externa no Irão e na Coreia do Norte e é através da ONU que a sua Administração tenta encontrar uma solução política para as guerras na Síria e no Iémen.