Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Angola reclama devolução de obras de arte levadas por Portugal no tempo das colónias

Bonecas angolanas do Museu de Etnologia, em Lisboa, integram as peças que a ministra de Angola vê como tendo valor identitário

Governo de João Lourenço vai fazer um levantamento dos bens que quer ver restituídos e que saíram do país até 1974. Polémica internacional chega a Portugal

Christiana Martins

Christiana Martins

Texto

Jornalista

Gustavo Costa

Correspondente em Luanda

Nuno Fox

Fotos

Fotógrafo

O debate sobre a devolução de bens culturais às ex-colónias ainda não rebentou em Portugal. Mas vai acontecer. Angola está a preparar um amplo levantamento das peças que quer ver restituídas, incluindo as que estão sob a tutela de museus nacionais. “É imperioso que a diplomacia angolana, em colaboração com o Ministério da Cultura e outros departamentos ministeriais, possa dar início a consultas multilaterais com vista a regularizar a questão da propriedade e da posse, por um lado, e, por outro lado, da exploração dos bens culturais angolanos no estrangeiro”, garantiu ao Expresso Carolina Cerqueira, ministra da Cultura de Angola.

A discussão sobre a devolução de obras etnográficas, de valor artístico ou documental e até de despojos humanos aos países de origem não é nova, mas ganhou força redobrada há duas semanas com o anúncio da decisão de Emmanuel Macron de devolver ao Benim uma coleção de bronzes, retirados do país no final do século XIX no âmbito de uma expedição militar punitiva contra os reinos da África Ocidental.

Saiba mais na edição do sábado do Expresso.