Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Protestos em França extravasam “coletes amarelos” com manifestações estudantis no sul do país

STEPHANE DE SAKUTIN/Getty

Caminhada pelo clima agendada para sábado em Paris vai ser afastada dos Campos Elísios, depois de os “coletes amarelos” terem marcado para essa zona da cidade nova manifestação.

Os protestos em França já não se limitam ao movimento "coletes amarelos", com estudantes a protestarem violentamente no sul do país, enquanto Paris se prepara para novas manifestações. A caminhada pelo clima agendada para sábado em Paris vai ser afastada dos Campos Elísios, depois de os "coletes amarelos" terem marcado para essa zona da cidade nova manifestação.

Uma dezena de museus parisienses também anunciaram nesta quinta-feira que estarão encerrados no sábado e a Opera de Paris anulou toda a programação para esse dia. As autoridades policiais estão a pedir aos comerciantes na zona dos Campos Elísios para fecharem portas e para sensibilizarem os funcionários das lojas sobre os riscos que correm se estiverem presentes nessa parte da cidade.

Mas os protestos em França não ficam confinados ao movimento "coletes amarelos". Hoje, milhares de alunos desfilaram em Marselha e em Nice, contra as reformas educativas apresentadas pelo governo francês, num movimento de protesto que está a alargar-se a todo o sul da França. Em Marselha, cerca de três mil alunos de liceu manifestaram o seu descontentamento com as alterações previstas pelo governo, supervisionados por professores afetos a vários movimentos sindicais.

A polícia vigiou a manifestação com cerca de 40 carros de intervenção e um helicóptero, mostrando a preocupação com todo o género de atividade. Entre os cartazes empunhados pelos alunos, lia-se: "Eles podem cortar todas as flores, mas nunca vão parar a primavera"; "Welcome to lacrymogénie"; "Não à taxa de inscrição superior para os estudantes de fora da UE". Durante a manifestação, carros foram queimados. A polícia respondeu ao lançamento de pedras com gás lacrimogéneo.

Os confrontos verificaram-se igualmente em Nice, onde 33 pessoas foram detidas entre os manifestantes, de acordo com as autoridades municipais. Um violento encontro face a face entre a polícia e os jovens aconteceu perto da Imperial Park High School, uma das maiores escolas de Nice, com mais de 1.700 estudantes.

Trinta instituições de ensino ainda foram afetadas em Montpellier, com muitos "incidentes e atos de incivilidade", nas palavras de responsáveis da academia. Dois estudantes ficaram levemente feridos em confrontos em Beziers, onde um carro foi queimado, outro tombado e vários degradados (janelas quebradas), tendo sido feitas oito detenções, segundo as autoridades.