Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump cumprimentou Obama e ignorou Hillary no funeral de Bush

Donald Trump e Barack Obama cumprimentam-se durante as cerimónias fúnebres de George H. W. Bush

BRENDAN SMIALOWSKI/Getty

Aperto de mão entre Trump e Obama aconteceu pela primeira vez desde a transferência de poder, em 20 de janeiro de 2017

O Presidente dos EUA, Donald Trump, e o seu antecessor, Barack Obama, apertaram nesta quarta-feira as mãos no início do funeral do Presidente George H.W. Bush, o que não aconteceu entre Trump e Hillary Clinton. A saudação entre Trump e Barack Obama (2009-2017) contrastou com o facto de Trump não ter cumprimentado Hillary Clinton, ex-secretária de Estado e sua adversária nas eleições presidenciais de 2016.

O aperto de mão entre Trump e Obama aconteceu pela primeira vez desde a transferência de poder, em 20 de janeiro de 2017. Na primeira fila do funeral do ex-Presidente Bush (1989-1993), que morreu na sexta-feira passada aos 94 anos, estavam os ex-presidentes Democratas Barack Obama, Bill Clinton (1993-2001) e Jimmy Carter (1977-1981), juntamente com as suas respetivas mulheres, Michelle, Hillary e Rosalynn.

Trump e a mulher, Melania, chegaram pouco depois e sentaram-se numa extremidade da mesma fileira, com a primeira-dama sentada ao lado de Obama e o atual Presidente do lado do corredor. Obama e Michelle cumprimentaram Trump e a primeira-dama, quando estes tomaram o lugar na cerimónia.

A ex-candidata democrata Hillary Clinton estava sentada mais longe, à esquerda do seu marido, Bill, que por sua vez ocupou o espaço ao lado de Michelle Obama. Nem a ex-secretária de Estado nem o marido se viraram, quando Trump e a mulher tomaram seus lugares, e não houve saudação entre os dois casais.

Do outro lado do corredor estava sentado o ex-Presidente Republicano George W. Bush (2001-2009), filho do falecido Presidente, que fará um discurso em memória de seu pai.