Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Khashoggi. Ministério Público turco pede prisão de dois altos cargos sauditas

YASIN AKGUL/Getty

A ordem de prisão contra os dois indivíduos, supostamente próximos do príncipe herdeiro Mohamed bin Salman, aponta que são dois dos responsáveis de planear o assassínio do jornalista Jamal Khashoggi

O Ministério Público de Istambul emitiu esta quarta-feira uma ordem de prisão contra duas pessoas que ocupam altos cargos na Arábia Saudita, Ahmed al-Assiri et Saud al-Qahtani, por estarem alegadamente envolvidos no assassínio do jornalista Jamal Khashoggi.

Segundo a televisão turca TRT, a ordem de prisão contra os dois homens, supostamente próximos do príncipe herdeiro Mohamed bin Salman, aponta que são dois dos responsáveis de planear o assassínio, que ocorreu no consulado saudita em Istambul, a 2 de outubro.

A agência de notícias turca Anadolu indicou que o Ministério Público pediu o mandado de prisão de Al-Qahtani e Al-Assiri e que um tribunal de Istambul o confirmou depois de o avaliar.

Tanto Saud al-Qahtani, considerado um dos conselheiros mais próximos do príncipe, como o brigadeiro-general Ahmed al-Assiri, vice-chefe dos serviços secretos sauditas, foram retirados dos cargos em outubro passado por ocasião do escândalo causado pelo assassínio de Khashoggi.

O Governo dos Estados Unidos impôs sanções a Al-Qahtani em novembro, acusando-o de estar envolvido em "parte do planeamento e da execução da operação que levou ao assassínio de Khashoggi".

Ahmed al-Assiri, no entanto, não está na lista das 17 pessoas abrangidas pelas sanções de Washington.

Uma equipa de 15 agentes sauditas, supostamente enviados por Al-Qahtani, assassinou Jamal Khashoggi a 02 de outubro no consulado saudita em Istambul, onde o jornalista foi tratar de alguns documentos que lhe permitiriam casar-se com a sua noiva turca.

Riade admitiu o homicídio, mas não esclareceu o que aconteceu com o cadáver.

O Ministério Público da Turquia declarou ter provas de que Khashoggi foi sufocado e que o seu corpo foi esquartejado para o fazer desaparecer, mas que não encontrou pistas para localizar os restos mortais.